PUBLICIDADE
Topo

Anitta critica atuação de Bolsonaro com incêndios: 'Não está fazendo nada'

Anitta durante entrevista ao NME
Anitta durante entrevista ao NME
Reprodução

Colaboração para o Splash, em São Paulo

29/09/2020 16h43

A carreira de Anitta já é internacional, mas isso não quer dizer que a cantora não esteja com os olhos bem atentos para o que está acontecendo no país. Em entrevista recente ao site NME, a funkeira criticou Bolsonaro e afirmou que usou o tempo em casa por conta da pandemia para aprender política.

Acho que o presidente [Jair Bolsonaro] não está conduzindo a crise [do coronavírus] de maneira positiva. Você sabe, ele está apenas tentando evitar a responsabilidade pelos problemas dele"

Continua depois da publicidade

O interesse da cantora pela política brasileira foi transformado em aulas sobre o tema. A funkeira realizou algumas lives com a advogada Gabriela Prioli em seu Instagram nos últimos meses para aprender — e compartilhar com os fãs — como é o funcionamento do Brasil.

Para ela, o principal objetivo dessas aulas é ajudar os fãs a entenderem a importância do voto.

Temos voz e somos nós que escolhemos essas pessoas. Por isso, é importante entender o que eles estão fazendo, para que não votemos nessa pessoa de novo"

Continua depois da publicidade

Anitta ainda afirmou que jamais votaria em Jair Bolsonaro e que está especialmente angustiada com a recusa do presidente em combater os incêndios no país. "No momento, a floresta está queimando um inferno e ele não está fazendo nada. Isso é muito ruim para todos nós", afirmou.

Apesar do descontentamento com a política do país, a cantora se mostra bastante positiva com o seu próximo trabalho e a aproximação de culturas no continente americano. Durante entrevista, Anitta afirmou que "Kisses" (2019) foi um álbum sobre entrar mais em "outras culturas" e agora o jogo mudou.

Eu fiz aquele álbum para encontrar alguém que pudesse entender o quão complexo e quão grande meu trabalho pode ser. E funcionou! Então, agora, esse novo álbum é uma mistura da cultura brasileira com o mundo latino e americano. Acho que é mais como eu — é mais minha cultura"

TRÁ!