PUBLICIDADE
Topo

O que diz a advogada que processou Luísa Sonza por racismo

Luísa Sonza falou sobre racismo no Twitter
Luísa Sonza falou sobre racismo no Twitter
Reprodução/Instagram @luisasonza

Guilherme Lucio da Rocha

De Splash, em São Paulo

18/09/2020 14h49

A advogada Isabel Macedo de Jesus, do Rio de Janeiro, está processando a cantora Luísa Sonza por racismo e pedindo R$ 10 mil por danos morais, segundo o processo a que Splash teve acesso.

Segundo Isabel, o episódio se deu em 22 de setembro de 2018, quando ela comemorava seu aniversário em uma pousada, na ilha de Fernando de Noronha —mesmo local em que Luísa Sonza se apresentava. A advogada estava numa mesa próxima ao palco e decidiu ir ao banheiro. Ao passar pela cantora, recebeu um tapa no braço e um pedido para entregar a ela um copo com água.

Continua depois da publicidade
Fernando de Noronha -                                 RICARDO ROLLO/MINISTéRIO DO TURISMO                             -                                 RICARDO ROLLO/MINISTéRIO DO TURISMO
Arquipélago de Fernando de Noronha
Imagem: RICARDO ROLLO/MINISTéRIO DO TURISMO

Isabel, então, pediu que a cantora repetisse o que havia dito e, segundo consta no processo, recebeu a mesma resposta: que levasse um copo de água à cantora, pois ela estava com sede. A advogada diz que tentou explicar a Luísa que era cliente do local, e não funcionária.

Ao ser indagada por qual motivo acreditou ser a autora funcionária do local, [...] a primeira ré se esquivou, não deixando dúvidas que sabia que havia feito um julgamento preconceituoso, em razão dos traços raciais da autora.

Trecho do processo.

Isabel diz que retornou à sua mesa "humilhada" e que não recebeu atenção da gerência da pousada. No dia seguinte, foi a uma delegacia e prestou queixa. A advogada afirma ainda que foi destratada por uma policial civil. A agente teria dito que ela não era negra e, por isso, não havia sofrido injúria.

Luísa Sonza - A cantora gaúcha Luísa Sonza (FOTO: Reprodução) - A cantora gaúcha Luísa Sonza (FOTO: Reprodução)
A cantora gaúcha Luísa Sonza (FOTO: Reprodução)
Imagem: A cantora gaúcha Luísa Sonza (FOTO: Reprodução)
Continua depois da publicidade

A ação afirma que o passar do tempo não aliviou o sofrimento que Isabel enfrentou durante o episódio e que a advogada teve sua honra abalada.

Calar-se não é (e nunca será) a melhor decisão frente a esta grave violação à subjetividade de um indivíduo", diz o processo.

Além de Luísa, a advogada processa a pousada. Ela pede R$ 10 mil e uma retratação pública dos réus. O Splash ligou para a advogada de Isabel, que não quis se manifestar sobre o assunto. Em nota, o advogado José Estevam Macedo Lima, que defende a cantora, afirmou que ela não havia sido notificada e que tomou conhecimento do processo por meio da imprensa.

"As acusações são falsas, inverídicas e vêm em um momento oportunista, em razão do crescimento exponencial da carreira da artista", declarou o advogado de Luísa. "Causam estranheza as acusações de racismo, pois até a presente data a artista não recebeu notificação das autoridades policiais sobre a suposta investigação."

Via Twitter, a cantora disse que a acusação é absurda.

Por que Luísa não foi notificada?

A autora do processo entrou com um pedido de gratuidade de Justiça para não ter de arcar com as custas processuais, o que foi negado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Isabel, então, pediu para parcelar o valor (cerca de R$ 300). Segundo apurado pela reportagem, só depois de concluído esse pagamento Luísa Sonza será notificada.