PUBLICIDADE
Topo

Lacombe diz que não trocaria RedeTV por Globo e rejeita Huck na presidência

Luís Ernesto Lacombe
Luís Ernesto Lacombe
reprodução/Instagram

Ana Carolina Silva

De Splash, em São Paulo

18/09/2020 04h00

Se existe "casamento perfeito", Luís Ernesto Lacombe e RedeTV pode ser considerado um. A linha editorial seguida pela emissora e do jornalista são bem próximas. As ideias do apresentador e dos responsáveis pelo canal são parecidas. E ele demonstra bem essa felicidade.

lacombe 1 - divulgação/RedeTV - divulgação/RedeTV
Lacombe na RedeTV
Imagem: divulgação/RedeTV
Continua depois da publicidade

Lacombe ficou 20 anos na Globo, até 2017, mas acha que figurinha repetida não completa álbum. Ele não quer saber de voltar para o canal. Nesse bate-papo com Splash, falou sobre as especulações de que um certo astro da Globo pode se candidatar à presidência da República em 2022.

Como você reagiria se Luciano Huck virasse presidente do Brasil?

Lacombe não gosta dessa ideia e vai além: o país não precisa de um presidenciável como o apresentador do "Caldeirão".

Se você transportar o apresentador para a presidência, se ele tiver o mesmo papel, será mais um presidente assistencialista e populista. E acho que quase todos concordam: a gente não precisa de alguém assim

Continua depois da publicidade

Lacombe deixou claro que reagiria como esse garotinho se tirasse a máscara do presidente e encontrasse Luciano Huck.

Huck sempre se vendeu como um empresário liberal, mas compra muito as ideias progressistas e a agenda global, e tudo isso envolve muito o Estado. Primeiro, ele tem que definir se é um liberal, ou se é um progressista defendendo essa agenda globalista, que eu acho um atentado à democracia

Lacombe não discorda só de Huck, mas também da própria Globo.

E se você estiver tão confuso quanto a Nazaré, fique tranquilo que nós vamos contar o que mudou na relação dele com a emissora carioca.

Já tenho uma situação financeira mais ou menos estabelecida, não tenho por que abandonar algo importante para voltar a uma figurinha repetida [Globo] que não completa álbum

Continua depois da publicidade
lacombe 2 - divulgação/RedeTV - divulgação/RedeTV
Lacombe na RedeTV
Imagem: divulgação/RedeTV

Para começar, ele acredita que não há qualquer chance de a atual diretoria da Globo convidá-lo para voltar.

Enquanto a Globo insistir nesse caminho progressista, do 'politicamente correto', não há espaço para alguém como eu. A Globo jamais me convidaria para voltar. Se a emissora mudasse de linha completamente, aí eu teria que estar muito insatisfeito na RedeTV. Nesse momento, estou muito feliz aqui

lacombe redetv - divulgação/RedeTV - divulgação/RedeTV
Luis Ernesto Lacombe na RedeTV
Imagem: divulgação/RedeTV

A felicidade de Lacombe na RedeTV pode indicar também o quanto ele não estava satisfeito na Band, sua última casa.

Continua depois da publicidade

Obviamente, houve um movimento contra o programa que eu apresentava na Band. Não cabe a mim questionar, uma emissora tem toda autonomia sobre os produtos que leva ao ar. Ter um projeto interrompido incomoda, mas quando você olha para o lado e vê uma porta se abrindo, você esquece e caminha feliz

lacombe na band - Reprodução/Instagrma - Reprodução/Instagrma
Lacombe deixou a Band em junho
Imagem: Reprodução/Instagrma

Lacombe não citou nomes das pessoas com as quais teria se desentendido na Band.

Aliás, o apresentador deixou claro que seu contrato tinha cláusulas perenes que o impedem de falar muito sobre o assunto.

O "Aqui na Band", programa que ele apresentava na Bandeirantes, passou por transformações imprevistas que o atrapalharam:

O programa foi pensado como revista eletrônica e foi empurrado como programa jornalístico por contingências: com a crise do coronavírus, nossa equipe foi reduzida

A RedeTV é a casa dele agora.

Deveria ter sido antes, até

lacombe redetv - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Lacombe assina contrato com Marcelo de Carvalho na RedeTV!
Imagem: Reprodução/Twitter
Continua depois da publicidade

Encontrei o clima que eu queria há muitos anos. Vou fazer uma analogia boba: eu comprei uma casa em 2008 e queria botá-la abaixo e começar do zero. Por questões burocráticas, não pude, tive que reformar. E quando você pega um terreno limpo e pode subir a casa do seu jeito, é completamente diferente

lacombe globo - reprodução/Globo - reprodução/Globo
Luis Ernesto Lacombe no esporte da Globo
Imagem: reprodução/Globo

Lacombe promete muitas novidades nessa sua chegada à casa nova, mas nada relacionada a esporte, área em que atuou durante muito tempo na Globo.

Eu tive o meu tempo no esporte, fui muito feliz. Cobri Olimpíada, Copa do Mundo, Fórmula 1. Foi um tempo em que viajei muito, aprendi, contei histórias. Guardo com enorme carinho, mas não me vejo mais trabalhando com esporte. Absolutamente, não me vejo mais

lacombe copa 2014 - reprodução/Globo - reprodução/Globo
Lacombe no Central da Copa, da Globo, na Copa do Mundo de 2014
Imagem: reprodução/Globo
Continua depois da publicidade

Ele recusou uma proposta para comandar o reality de futebol "Uma vida, um sonho", do SBT, depois que Glenda Kozlowski deixou o projeto.

Quando entrei no 'Aqui na Band', eu tinha um pouco mais de 60 mil seguidores no Instagram. Eu cresci a partir dos comentários de política. Hoje tenho quase 1,3 milhão de seguidores, um canal no YouTube. A minha carreira deu uma reviravolta e tomou esse caminho, não me vejo agora desgarrado disso

lacombe 3 - divulgação/RedeTV - divulgação/RedeTV
Lacombe na RedeTV
Imagem: divulgação/RedeTV

O que seria esse novo caminho?

Tenho a promessa de que a RedeTV me dará liberdade [para não ser 'militante']. É a diferença entre ser posicionado e ser militante. O presidente Bolsonaro pediu à bancada na Câmara que votasse a favor do Fundeb; eu sou contra o Fundeb, mas me chamam de bolsonarista

Continua depois da publicidade

O militante é um ser sem senso crítico, um ser sem visão, cego. Ele tem políticos de estimação, é partidário, tem a patota dele, e não vê nada mais em volta. Não é o meu caso

Porém, durante o bate-papo, Lacombe comentou alguns assuntos sensíveis: dentre outras coisas, ele disse que as pessoas não deveriam ser obrigadas a tomar vacina para o novo coronavírus.

Eu não gosto de imposição. Você está com medo e preocupado? Fique em casa. Não tá? Vá pra rua. Você quer tomar a vacina? Tome, mas se não quer tomar, não tome. Tudo se resume, no fim das contas, à perda de liberdades individuais

Mas a vacina é obrigatória, sim.

vacina - Miguel Noronha/Futura Press/Estadão Conteúdo - Miguel Noronha/Futura Press/Estadão Conteúdo
Imagem: Miguel Noronha/Futura Press/Estadão Conteúdo

No contexto da covid-19, dizer isso é contrariar a lei nº 13.979/20, proposta pelo próprio Executivo e sancionada por Jair Bolsonaro. A "Lei do Coronavírus" diz que, na situação atual de pandemia, as autoridades podem obrigar a população a ser vacinada.

Continua depois da publicidade

A vacina, como dizem, é um "pacto coletivo".

Ela pode não funcionar em uma parcela menor da população que sofre de problemas no sistema imunológico; por isso, ao estar vacinado, você evita pegar a doença e não a transmite para quem não conseguiu se imunizar.

Lacombe acha que a hidroxicloroquina (usada por médicos no tratamento para malária) deveria ser usada em casos do coronavírus, mas a ciência afirma o contrário.

Existem médicos que apoiam o tratamento precoce com a hidroxicloroquina, e eu acho que eles estão cobertos de razão

Independentemente do que podem dizer alguns médicos, a OMS (Organização Mundial da Saúde) e grandes estudos apontam ineficácia da cloroquina contra a covid-19 —além do fato de que a substância pode trazer riscos à saúde.

lacombe 4 - divulgação/RedeTV - divulgação/RedeTV
Lacombe na RedeTV
Imagem: divulgação/RedeTV