PUBLICIDADE
Topo

Juliana Paes diz que Bibi a deixava fisicamente moída, mas com 'alma leve'

Juliana Paes de Bibi Perigosa
Juliana Paes de Bibi Perigosa
Reprodução/Globo

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

15/09/2020 18h38

Cuidado! Bibi Perigosa está de volta e promete fortes emoções com direito a "tiro, porrada e bomba"! "A Força do Querer" será reprisada na Globo a partir de segunda-feira (21) no horário nobre da Globo no lugar de "Fina Estampa". Você lembra da trama principal?

Continua depois da publicidade

A novela, de Glória Perez, exibida em 2017 pela primeira vez, mostra o amor bandido de Bibi Perigosa (Juliana Paes) por Rubinho (Emílio Dantas) e foi inspirada em uma história da vida real, a de Fabiana Escobar, que foi mulher do traficante Ném da Rocinha, favela do Rio de Janeiro.

Como será que Ju fez para voltar ao equilíbrio mental e não pirar até o fim da novela com cenas tão impactantes e todas as loucuras cometidas por Bibi?

Era difícil parar, interromper o fluxo de emoção, eram emoções muito intensas. Mas quanto mais nosso personagem coloca essa emoção,você sai fisicamente moído, mas a alma está leve; é como um orgasmo, como um clímax

Continua depois da publicidade

Crise de riso em surra

A atriz diz que não curtia gravar cenas de brigas na novela e sofreu quando teve que dar uma surra em Carine (Carla Diaz), amante de Rubinho. Quase sempre as duas puxavam os cabelos um da outra e trocavam ofensas com direito a muito xingamentos.

"Toda vez que tinha que bater na pobre da Carine, que tinha embate com a Jeiza (Paolla Oliveira), detestava porque me dava uma baita vontade de rir. Esse momento de pegar cabelo", lembrou a atriz na coletiva virtual da novela.

Da paz!

Continua depois da publicidade

Esse sofrimento com cenas mais tensas, tem um motivo: ela nunca gostou de se envolver em confusão nem mesmo na vida real.

"Nunca briguei na vida com ninguém, acho que só briguei com as minhas irmãs quando era criança".

Por outro lado, ela a-d-o-r-a-v-a fazer as cenas em que Bibi, em seu momento mais explosivo, tacava fogo nos lugares. Foi assim com uma moto de Rubinho.

Toda vez que tinha que fazer cenas de colocar fogo em alguma coisa era sempre muito divertido, não vou mentir. É muito maravilhoso quando um personagem te liberdade. Quem nunca ficou com vontade de dar uma esculachada?

Continua depois da publicidade

Emocionalmente imatura

O comportamento intenso e sem limites de Bibi é visto como atual por Juliana, que acredita que existem muitas pessoas como ela em qualquer momento.

"Esse comportamento explosivo e sem medir as consequências sempre vai ser perigoso, não tem época para isso. A Bibi era uma personagem emocionalmente imatura, dependente. Em qualquer época, alguém que não tenha o mínimo de inteligência emocional vai estar sempre em perigo".