PUBLICIDADE
Topo

Roberto Sadovski

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Por que o Globo de Ouro é o prêmio mais irrelevante e divertido do cinema

Roberto Sadovski

Roberto Sadovski é jornalista e crítico de cinema. Por mais de uma década, comandou a revista sobre cinema "SET". Colaborou com a revista inglesa "Empire", além das nacionais "Playboy", "GQ", "Monet", "VIP", "BillBoard", "Lola" e "Contigo". Também dirigiu a redação da revista "Sexy" e escreveu o eBook "Cem Filmes Para Ver e Rever... Sempre".

Colunista do UOL

08/02/2021 18h35

A premiação do Globo de Ouro é sempre divertida, mesmo antes da cerimônia. Um exemplo? "Corra!", terror sufocante e politicamente antenado, estreia de Jordan Peele como diretor, foi indicado no ano de seu lançamento como melhor filme... na categoria comédia/musical. Ok, a gente ri de nervoso, mas não é exatamente um "Apertem os Cintos! O Piloto Sumiu".

Entra ano, sai ano, e a lista dos indicados ao Globo de Ouro, premiação promovida pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood - a HFPA -, é sempre um banquete para quem adora dissecar suas bizarrices. Seu histórico de gafes absurdas ao longo dos anos já se tornaram lenda na capital do cinemão, com filmes pavorosos sendo indicados a seus prêmios mais nobres e artistas de quinta ganhando um afago durante a cerimônia.

Fique claro que o papo aqui nem é discutir surpresas ou ausências entre os concorrentes a melhores do cinema e da TV este ano. Como qualquer lista, ela é sujeita a críticas e tambem a aplausos. Mas não deve ser levada muito a sério. O Globo de Ouro diverte por ser uma cerimônia menos sisuda que a do Oscar. Com o consumo de uns bons drinks ao longo da noite, as celebridades vão ficando soltinhas e os memes são inevitáveis.

Mas, reitero, não é uma premiação a ser levada a sério. Não acredite, portanto, quando ler que seria "o termômetro do Oscar": apesar de coincidências pontuais, o Globo de Ouro em nada influencia os prêmios da Academia. E nem tem como, já que estamos falando de uma lista que inclui James Corden - JAMES CORDEN!!! - concorrendo como melhor ator coadjuvante pelo desastre "A Festa de Formatura".

Em minha coluna em vídeo aproveito para lembrar dos maiores absurdos já promovidos pelo Globo de Ouro, bem como lembrar que não é nada para ninguém se inflamar. O melhor é fazer como Ricky Gervais (que infelizmente não será host esse ano) e aproveitar a farra com um copão de cerveja na mão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL