PUBLICIDADE
Topo

Renata Corrêa

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Ben Affleck e JLo anteciparam a ostentação de amor das redes sociais

Jennifer Lopez & Ben Affleck em 2003 - Getty Images
Jennifer Lopez & Ben Affleck em 2003 Imagem: Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Renata Corrêa

Renata Corrêa (Rio de Janeiro, 1982) é roteirista, escritora, dramaturga. Com forte presença nas redes sociais (@letrapreta, no Twitter, e @recorrea, no Instagram), seus trabalhos têm foco no humor e no protagonismo feminino. Autora do livro ?Vaca e Outras Moças de Família? (Ed. Patuá), da peça ?A Fábrica de Cachorros?, e do documentário ?Clandestinas?, sobre aborto no Brasil. Apresenta com Carla Lemos, colunista de Universa, o Podcast Primas, sobre cultura produzida por mulheres, e a série de vídeos ?Como Não Ser Um Machista Babaca?. Escreveu a série ?Perrengue? (MTV) e foi roteirista dos programas ?Greg News? (HBO), ?Tá no Ar? (Rede Globo) e ?Fora de Hora? (Rede Globo). Atualmente é contratada da Rede Globo, onde escreve o quadro ?Mulheres Fantásticas? e uma nova série de humor para o Globoplay.

Colunista do UOL

05/07/2021 04h00Atualizada em 05/07/2021 14h42

Nos dias de hoje, quando um casal de pessoas famosas vem a público confirmar o relacionamento, os fãs já criam o nome que irá acompanhar (ou amaldiçoar) a dupla até que a morte —ou traições e fofocas— os separem.

"Brumar" foi o fã clube do casal Bruna Marquezine e Neymar; "Brangelina", de Brad Pitt e Angelina Jolie. Até casais da ficção ganham a sua própria corruptela: "Limanta" era o nome que os apaixonados por Lica e Samanta deram ao casal de "Malhação -Viva a Diferença".

Mas antes de todos esses, existiu o casal fundamental que moldou a nossa relação de engajamentos com romances dos famosos - e que fizeram do próprio relacionamento uma narrativa pronta para mídia em uma era pré redes sociais. E o nome desse casal é BENNIFER.

Ben Affleck e Jennifer Lopez estavam no auge de suas carreiras. Ele já tinha ganhado o Oscar por "Gênio Indomável" em 1997 e como cantora ela já tinha entrado no Hot 100 da Billboard, abocanhado um MTV Music Awards e indicada ao Emmy —isso tudo depois de ter tido uma carreira de sucesso como atriz.

Parecia mesmo um conto de fadas —um menino que foi ator infantil e uma menina do Bronx se tornam estrelas e se apaixonam. Parecia que a fama era um plano do destino só para fazer com que os dois se encontrassem um dia em um tapete vermelho qualquer.

Antes do lançamento do Facebook, a indústria das celebridades usava paparazzi, e as capas dos tabloides impressos ainda eram muito importantes para construir a história sobre um casal público. Todo esse romance foi documentado, e narrado à revelia do casal —e era apaixonante acompanhar.

Ben Affleck a pediu em noivado e deu um diamante cor-de-rosa do tamanho de um pãozinho francês para Jennifer, que o exibia feliz em aparições públicas.

Mas a cobertura de celebridades na época era ainda mais misógina e racista do que é hoje —Jennifer seria "velha demais" para Ben Affleck (ela tem apenas três anos a mais que ele). Era descrita como "deslumbrada" e "diva" que exigia luxos e aparições públicas do menino simples de coração puro que conquistou Hollywood. E, principalmente, ela era latina que conquistou um príncipe branco, um verdadeiro crime. Seu "sangue quente" provocaria brigas constantes.

O casal chegou a fazer tentativas de retomar o controle da história. O clipe da música "Jenny From the Block" ficcionaliza o relacionamento dos dois e fala sobre o impacto da mídia de celebridades na intimidade dos dois. Mas isso não diminuiu a sede de sangue dos tabloides e quatro dias antes do casamento, eles romperam.

Tem um boato que ela tacou fogo no vestido de noiva. Paixão é isso aí.

De lá para cá ambos casaram, tiveram filhos, separaram, tiveram outros relacionamentos públicos. Ben Affleck admitiu ter problemas com o álcool e seu vício acabou prejudicando a sua carreira. Perdeu o papel de Batman, entrou e saiu de clínicas de reabilitação. Jennifer terminou um outro noivado às vésperas do casamento.

As vidas de ambos pareciam afastadas, mas eis que desde março de 2021 começam a pipocar boatos sobre a volta de BENNIFER, que foram confirmadas com fotos nos perfis de fofoca gringos. Os cringes piram.

BENNIFER foi uma antecipação do que seria o amor para famosos e mortais alguns anos depois, com a explosão das redes sociais. O que parecia exagerado como fotos na praia, demonstrações públicas de afeto, imagens íntimas tornadas públicas e ostentação de presentes se tornaram a norma. Eles elevaram a ideia do que era romance e como o romance deveria parecer para o público. E dificilmente voltaremos atrás.

Mas e agora?

Como diria Tim Maia, paixão antiga sempre mexe com a gente.

Eles estão mais velhos, continuam lindos (mesmo de calça cargo), passaram por poucas e boas, e aparentemente são mais espertos para lidar com as pressões. Talvez adotem uma postura mais low profile, mas sempre vai ficar na lembrança de quem foi jovem no início dos anos 2000 todo o glamour e drama que só uma boa shippada pode nos dar.

Para mais histórias tristes de amor, me siga no Instagram e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL