PUBLICIDADE
Topo

Porta dos Fundos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Se até o Caetano está no TikTok, por que não eu?

Tentando travar na pose - Reprodução
Tentando travar na pose Imagem: Reprodução
Porta dos Fundos

Textos semanais escritos pelos roteiristas do canal de humor Porta dos Fundos, responsáveis por mais palavrões ditos por famosos que a coluna do Léo Dias. "Roteiristas são como duendes: ninguém nunca os vê, mas fazem coisas mágicas por um prato de comida" (antigo provérbio chinês)

Colunista do UOL*

25/10/2021 11h00

Você se sente isolada. Não se encaixa mais entre os cringes, mas também não está vivida o suficiente para ingressar no jogo de dominó das senhoras da igreja, nem nunca foi chegada em bingo (principalmente clandestino). Pessoas de 40 são como irmãos do meio, pouco notados e sempre confusos.

Aí, numa conversa informal entre colegas de trabalho (todos mais jovens, obviamente), você se sente como? Velha! Nunca ouviu falar nas "trends" de TikTok que eles comentam, nem tem filha com idade para explicá-las. Também não confessa pra ninguém que, na verdade, não entra no TikTok porque te parece uma rede assustadora, com músicas muito ruins e vídeos tenebrosos (desculpem, amigos de 20 e poucos).

Aos 40, o Instagram é sua zona de conforto. Você conhece aquelas terras como uma andarilha do deserto. A única coisa que você não entende é como sua amiga de infância sem graça tem 20 mil amigos postando apenas a cara dela na praia, enquanto você mal chega a 400, até porque insiste manter sua conta privada (diz que é por ser reservada, mas na realidade sente inveja - tudo bem, pode admitir).

Mas... mais um aniversário está chegando e você sente que é necessário dar um "basta" no seu envelhecimento (mental, pelo menos). É hora de encarar o maior desafio do TikTok: baixá-lo. Transformar a sua vida e, certamente, falhar na tentativa de virar uma influencer em uma rede com a qual você não tem a menor familiaridade.

We Can Do It - AFP - AFP
Vamos juntas nessa tragédia anunciada!
Imagem: AFP

Primeiro passo: baixe o aplicativo e escolha um nome bem jovial (existe uma palavra mais velha que "jovial"?). Aí, se jogue assistindo uma corrente infinita de vídeos - muitos que você até já viu no Instagram; mas na rede chinesa você pode escolher as #s que interessam e seguir as pessoas que quiser (assim como no Instagram).

Parece bem simples? Pois te dou um spoiler: não é! Estou há uma semana tentando encontrar alguma coisa que eu goste, uma receita sem glúten, uma música interessante, um vídeo de pessoas que não te deixem lembrar que você, na verdade, está um tanto acabada para uma nova rede social.

Mas, dizem, depois que você se acostuma e se encontra no feed, o TikTok é demais! Quem sabe eu te conte mais pra frente? Nesse momento eu estou um pouco desanimada. Mas como boa brasileira, eu desisto e minto! Ainda virarei uma TikToker. Basta seguir minha @. Como diria Caetano "O quereres e o estares sempre a fim; Do que em mim é de mim tão desigual". E assim, seguimos querendo.

(Eu devia ter citado AnaVitória né? Mais alinhado com o target... mas o Caê tá na esquete de hoje do Porta, me empolguei!)

*Juliana Rodrigues é roteirista e coordenadora de conteúdo do Porta dos Fundos. No TikTok é @juju_tiktoker2021

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL