PUBLICIDADE
Topo

Porta dos Fundos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

O que fazer com o dinheiro que você economiza ao parar de fumar

Ler também faz mal à saúde, mas menos - Reprodução
Ler também faz mal à saúde, mas menos Imagem: Reprodução
Porta dos Fundos

Textos semanais escritos pelos roteiristas do canal de humor Porta dos Fundos, responsáveis por mais palavrões ditos por famosos que a coluna do Léo Dias. "Roteiristas são como duendes: ninguém nunca os vê, mas fazem coisas mágicas por um prato de comida" (antigo provérbio chinês)

Colunista do UOL*

02/10/2021 11h00

Os dados estatísticos e os cinzeiros de avião não mentem: já se fumou muito mais no Brasil. Em 1989, um em cada três brasileiros adultos fumava cigarro. Em 2019, eram pouco mais de um em cada dez — e os outros nove ainda o obrigavam a ir fumar lá fora, pra não pegar cheiro na roupa.

Afora a ideia de jerico que uma "área de fumantes" dentro de um restaurante ou teatro seria respeitada pela fumaça; e uma teimosia em achar que câncer no pulmão era fake news; o brasileiro dos anos 90 pelo menos tinha como argumento que fumar era um hobby barato. Não mais!

Com o aumento nos impostos dos chamados pregos de caixão, hoje um maço (ou box, pra os leitores gourmets) custa em torno de nove reais. Como tabagista é tudo viciado e sempre gasta o troco comprando um cigarro a varejo, vamos arredondar a conta para R$ 10 (afinal, somos de Humanas). Considerando um maço por dia, o tabacômano médio gasta por base R$ 300 por mês. Por ano, são R$ 3.600 dedicados ao cigarro, sem contar os isqueiros perdidos.

Isso posto, esta coluna pretende abrir sua mente para outras possibilidades de utilizar seu dinheiro de forma mais eficiente.

Com R$ 3.600 reais, você pode, por exemplo, adquirir um Monza Preto 1998 com superaquecimento de motor, câmbio desconfiável e pastilhas de freios originais.

Se você aprecia viagens mais longas, saiba que R$ 3.600 é exatamente o preço de uma passagem só de ida para Chernobil, na Ucrânia. Dizem que as atrações de lá, além de históricas, nunca têm fila. Ou se sua pegada é mais turismo de aventura, podemos passar o contato do Julinho Casanova, que faz uma ponte com um coiote panamenho que te ajuda a fazer a travessia para os EUA pelo México com com o mínimo de transtorno e documentos.

Já quem quer fazer durar um pouco mais a experiência, pode alugar por um mês um apartamento no Flamengo com 50 metros quadrados, dois quartos, sala, cozinha planejada, e aquecedor a gás dentro do banheiro. Viva os anos 90!

Ou você pode também, sei lá, investir em bitcoins. O risco é meio o mesmo.

Então é isso: escolha uma dessas opções (ou sugira outras nos comentários!) e você estará investindo seu dinheiro de comprar cigarro com a mesma inteligência, perdendo apenas uma desculpa batida para abandonar sua família. Você pode não querer viver pra ver seus netos, mas não precisa ser um fumante cringe pra isso.

*Pedro Uchoa é assistente de roteiro do Porta dos Fundos. No Instagram: @pedrouchoam

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL