PUBLICIDADE
Topo

Pedro Antunes

Vocalista do Smash Mouth surtou no palco. Vale a pena ser rockstar?

Vocalista do Smash Mouth, Steve Harwell viveu o auge dos cavanhaques fininhos - Montagem: Pedro Antunes
Vocalista do Smash Mouth, Steve Harwell viveu o auge dos cavanhaques fininhos Imagem: Montagem: Pedro Antunes
Conteúdo exclusivo para assinantes
Pedro Antunes

Pedro Antunes, ou "Pô Antunes" pra quem só me conhece pelo Instagram, é jornalista, apresentador, curador e crítico de música e cultura pop desde 2010. Escreveu no Jornal da Tarde, Estadão e foi editor-chefe da Rolling Stone Brasil. Fez mais entrevistas do se lembra, tem um "novo disco favorito" por semana e faz mini-análises de álbuns no programa Tem um Gato na Minha Vitrola, no perfil @poantunes.

Colunista do UOL

19/10/2021 04h00

Fruto do "boom" do ska-rock sul-californiano dos anos 90, o Smash Mouth poderia ter sido gigante. E, por certo tempo, até foi.

O grupo conseguiu o 6º lugar das paradas dos Estados Unidos com o segundo "Astro Lounge", lançado em 1999, um tempo em que o pop aceitava cavanhaques finos e cabelos ensebados de gel como ostentando pelo vocalista Steve Harwell.

Muito desse sucesso se deu pelo hit massivo "All Star", que entre outras coisas, foi marcante na trilha sonora da animação "Shrek", a história do adorável ogro verde que se apaixona por uma princesa.

A música é essa aqui:

Mas quase 30 anos depois e mais sucessos como "Walkin' on the Sun" e "I'm a Believer", "Then The Morning Comes" e "Why Can't Be Friends", o grupo amarga a existência no que podemos chamar de "umbral das bandas de rock".

Nem mortos, nem vivos. Tipo aquele lugar assustador mostrado no filme espírita "Nosso Lar", sabem?

Sobreviver neste limbo nostálgico é difícil e não é para qualquer um. Como manter a sanidade em shows cada vez menores, amparado pelo sucesso de músicas que já têm idade suficiente para comprar o próprio carro e dirigir para longe dali?

O vexame do vocalista Steve Harwell ficou entre os assuntos mais buscados do Google na semana passada.

Um vídeo que viralizou no TikTok mostrava Harwell em péssima forma naquele que, possivelmente, foi o pior show de sua vida.

Em tempos de redes sociais e de hate gratuito na web, erros como esse são fatais. Neste caso, encerraram a carreira do artista.

O pior show de uma banda

No início de outubro, o Smash Mouth se apresentou no festival de vinhos e cervejas chamado Big Sip, realizado em Berthel, no norte do estado de Nova York. O show marcava o retorno de Harwell depois de se ausentar de algumas performances do grupo para cuidar da saúde.

Na apresentação o vocalista parece ter tido a alma sugada do próprio corpo em alguns momentos. Tem atitudes agressivas com o público, faz o que parece ser um símbolo nazista (pois é...) e estava completamente desconectado da realidade.

O vídeo abaixo é triste, ok?

Questões de saúde

A informação revelada por um representante da banda que se tem é que Harwell tem um estado de saúde delicado e vem lidado com problemas médicos há tempos.

De acordo com o site TMZ, há oito anos ele luta contra uma cardiomiopatia que se transformou em insuficiência cardíaca. E também desenvolveu uma encefalopatia de Wernicke, um distúrbio cerebral que provoca confusão, problemas nos olhos e perda de equilíbrio, resultado de uma deficiência de tiamina, ou seja, vitamina B1, e muitas vezes relacionada ao consumo excessivo de álcool.

Ou seja, claramente Harwell não estava em condições minimamente ideias para aquela apresentação.

Anúncio de aposentadoria

A repercussão do vídeo apressou as coisas. O Smash Mouth vai seguir, mas sem Harwell, que anunciou a aposentadoria para tratar da própria saúde.

"Desde que eu era criança, eu sonhava em ser um astro do rock me apresentando para arenas esgotadas e tive muita sorte de viver esse sonho. Aos meus colegas de banda, foi uma honra me apresentar com vocês durante todos esses anos e eu não consigo pensar em ninguém mais com quem eu preferiria ter vivido essa jornada.

Aos nossos fãs leais e incríveis, obrigado, tudo isso foi possível por conta de vocês. Eu tentei tanto me virar com as minhas questões de saúde física e mental e tocar para vocês uma última vez (no dia 11), mas eu só não consegui. Eu mal posso esperar para ver o que o Smash Mouth vai conquistar daqui pra frente e estou empolgado para me contar como um dos mais novos fãs da banda."

Harwell disse ter sonhado em ser um astro de rock e ter vivido esta experiência, mas seu último show foi em um festival de cervejas e vinhos.

Ser um "rockstar" está associado a um modo de vida ultrapassado, de excessos e devaneios. Principalmente, por um comportamento tóxico, autodestrutivo.

É sempre melancólico ver o fim de um sonho.

Como perceber que o auge já passou? E como entender que a carreira está em queda? Há salvação para bandas que estão no umbral?

Claro, todo mundo precisa de dólares no bolso e eu entendo. Mas, artisticamente, há futuro para o Smash Mouth, mesmo com outro vocalista? Quando uma banda ou artista deve entender que é hora de parar?

Você pode reclamar comigo aqui, no Instagram (@poantunes), no Twitter (também @poantunes) ou no TikTok (@poantunes, evidentemente).