PUBLICIDADE
Topo

Pedro Antunes

De Naiara Azevedo a Amado Batista: vale a pena aplaudir Bolsonaro?

Pedro Antunes

Pedro Antunes, ou "Pô Antunes" pra quem só me conhece pelo Instagram, é jornalista, apresentador, curador e crítico de música e cultura pop desde 2010. Escreveu no Jornal da Tarde, Estadão e foi editor-chefe da Rolling Stone Brasil. Fez mais entrevistas do se lembra, tem um "novo disco favorito" por semana e faz mini-análises de álbuns no programa Tem um Gato na Minha Vitrola, no perfil @poantunes.

Colunista do UOL

28/01/2021 15h08

Sem tempo?

  • Bolsonaro atacou (mais uma vez) a imprensa, em evento realizado em uma churrascaria de Brasília
  • Estavam presentes artistas como Naiara Azevedo, Amado Batista, entre outros.
  • E foi neste evento que Bolsonaro disse que os R$ 15,6 milhões gastos em leite condensado eram para serem "enfiados no r*** da imprensa"
  • O quanto vale, para um artista, estar ao lado do presidente, rir e aplaudir com ele?

"Vai para p*** que o pariu. Imprensa de m*** essa daí. É para enfiar no rabo de vocês aí, vocês não, vocês da imprensa essa lata de leite condensado", disse Jair Bolsonaro (sem partido) ao microfone.

Todos riem naquele almoço na churrascaria em Brasília. Batem palmas.

Amado Batista, sentado ao lado do presidente, até larga os talheres que usava para degustar um (suponho) delicioso bife para aplaudir a fala de Bolsonaro.

Bolsonaro atacava a imprensa por repercutir uma reportagem do portal Metrópoles, que apontava os gastos do Executivo com alimentos como chicletes, bombons e o tal leite condensado. Segundo a apuração, foram gastos R$ 15,6 milhões só no item que o presidente da República gosta de passar no pão quando toma o café da manhã.

Ataques desse tipo contra a imprensa não são uma novidade, não é? Não é de hoje que o Bolsonaro e seus aliados tentam deslegitimar a imprensa com ataques infundados, histéricos e agressivos.

Triste, porém recorrente.

Segundo o deputado Daniel Freitas (PSL-SC), em uma publicação no Instagram, "os artistas assinaram uma carta sinalizando apoio ao Presidente Bolsonaro e também pontuando as suas demandas mais urgentes".

De acordo com Diego, da dupla Diego & Arnaldo, também presente no encontro, a reunião não era de apoio ao presidente, mas, sim, um pedido de ajuda ao mercado do entretenimento e da música, como pode ser visto no vídeo abaixo.

A lista de personalidades presentes incluía artistas como Naiara Azevedo, Sorocaba (da dupla Fernando & Sorocaba), o cantor Netinho, Rick (da dupla Rick & Rener), Neymar Pai, além dos já citados Amado Batista e Diego.

Mas o que querem os artistas que estavam naquele almoço?

Estar ao lado de Bolsonaro não me parece ser uma jogada inteligente, de qualquer ponto de vista.

A popularidade e aprovação do presidente despencam. A rejeição dele está em 40% e a aprovação caiu 31%, segundo pesquisa do Datafolha publicada no dia 22 de janeiro.

A forma como Bolsonaro lidou e lida com a pandemia do coronavírus também é um desastre colossal o qual ainda não temos capacidade de mensurar na sua totalidade, já que o vírus ainda não foi vencido e o plano de vacinação no País é vexatório.

Você, artista, quer ser visto aplaudindo e rindo com ele?

O "efeito Bolsonaro" vai ajudar ou prejudicar o número de likes, views e etc?

Um bife suculento numa churrascaria em Brasília vale tudo isso?