PUBLICIDADE
Topo

Pedro Antunes

Seria DJ Alok o 'Mick Jagger do casamento das celebridades'?

Marina Ruy Barbosa e Xande Negrão com o DJ Alok na festa de casamento deles - Reprodução / Instagram
Marina Ruy Barbosa e Xande Negrão com o DJ Alok na festa de casamento deles Imagem: Reprodução / Instagram
Pedro Antunes

Pedro Antunes, ou "Pô Antunes" pra quem só me conhece pelo Instagram, é jornalista, apresentador, curador e crítico de música e cultura pop desde 2010. Escreveu no Jornal da Tarde, Estadão e foi editor-chefe da Rolling Stone Brasil. Fez mais entrevistas do se lembra, tem um "novo disco favorito" por semana e faz mini-análises de álbuns no programa Tem um Gato na Minha Vitrola, no perfil @poantunes.

Colunista do UOL

12/01/2021 18h40

Sem tempo?

  • O que os casamentos de Marina Ruy Barbosa com Alexandre Negrão e Whindersson Nunes com Luísa Sonza têm em comum?
  • A presença do bombadíssimo DJ Alok como atração da festa
  • O anúncio da separação do casal levanta uma nova teoria
  • Afinal, Alok também tocou na festa de Whindersson Nunes e Luísa Sonza e o matrimônio acabou em 2020.
  • Seria o artista o "Mick Jagger do casamento de celebridades"?
  • Caso você não saiba, o pai de Lucas Jagger é conhecido por ser pé-frio no futebol e por apoiar, costumeiramente, os times fadados às derrotas.

Mick Jagger, ídolo de todo roqueiro que se preze e vocalista de uma das maiores e mais importantes bandas de todos os tempos, os Rolling Stones, tem uma fama ingrata. O pai de Lucas Jagger é um baita de um pé-frio quando o assunto é futebol.

E tudo começou na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, quando a presença do Stone nos estádios na torcida por alguma seleção específica significava a certeza da derrota da mesma.

Teríamos encontrado um pé-frio da mesma magnitude em terras brasileiras? Improvável, eu diria até ontem. Mas 2021 tem surpreendido, não é mesmo?

Hoje o casal Marina Ruy Barbosa e Alexandre Negrão anunciou a separação - e este colunista faz um intervalo no texto para oferecer os sentimentos aos dois, afinal, separações são sempre terríveis, dolorosas e deixam marcas.

Mas voltemos à tese que dá título a este texto.

Quem tocou na festa do casal recém-separado em 2017? O grande Alok, DJ e produtor responsável por inúmeros hits chicletíssimos e eficientes nas pistas mais badaladas deste País (como o caso de "Hear Me Now").

Acontece que este não foi o único casamento entre celebridades com a performance do DJ, que recentemente se tornou o artista brasileiro mais ouvido no Spotify, a chegar ao fim.

Veja só, em 2020, também terminou o casório entre Whindersson Nunes e Luísa Sonza, em uma separação amplamente debatida no Twitter e afins.

Quem foi o DJ da festa realizada em 2018? Vocês sabem, certo?

Seria, portanto, o bombadíssimo Alok o "Mick Jagger do casamento das celebridades"? Existiria a possibilidade de existir um pé-frio de casórios?

Caso as respostas acima sejam positivas, sorte da Larissa Manoela, que recrutou os serviços do DJ para tocar em uma festa de?. Aniversário de 18 anos.

Ufa, essa por pouco, Lari.

Caso seja verdadeira essa teoria esdrúxula e a coluna não encontrou qualquer outro embasamento além destes apresentados aqui para comprová-la -, talvez a presença de Alok passe a ser propositalmente planejada para as festas daqueles que se casam já de olho no divórcio.

Assim, quando alguém questionar o motivo do término (uma das perguntas socialmente aceitas mais sacanas que eu conheço), a resposta será mais simples do que elaborar um longo discurso sobre a incompatibilidade do casal: "Ah, o Alok tocou, né? Sabe como é."

De qualquer forma, já vou riscar o nome do Alok da minha listinha de DJs a serem cotados se eu vier a casar só para garantir que, na eventualidade de tudo dar errado, a culpa seja completamente minha, mesmo.

Vale lembrar, por fim, que Alok também foi atração no casamento de Carlinhos Maia e, em uma busca rápida, até li textos de alguns sites de celebridades tratando de uma possível crise no matrimônio dele, mas nada foi confirmado pelos colegas jornalistas.

A verdade é que, no caso do influenciador - cuja última foi organizar uma festança no final do ano passado e ser duramente criticado por essa irresponsabilidade ímpar -, fatores externos não parecem ser necessários para atrair confusão. Aparentemente, ele faz isso por conta própria, mesmo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.