PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Claudia Leitte pede desculpas por silêncio na TV: "Eu me indigno"

Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

25/05/2021 00h34

A cantora Claudia Leitte pediu desculpas nesta segunda-feira (24) por sua participação no programa "Altas Horas", na Globo, no último sábado (22). Questionada por Serginho Groisman sobre o que a indignava hoje, a cantora deu uma resposta evasiva, que chocou os seus fãs.

"A minha indignação? Eu tenho um coração pacificador. Eu me indigno, sou capaz de virar tudo pelo avesso, chutar as barracas, mas eu acho que todo mundo tem um lugar onde pode brilhar uma luz para desfazer o que está acontecendo. E se essa luz se acende, obviamente, não vai ter escuridão", disse ela no "Altas Horas".

No mesmo programa, como registrei na coluna, padre Júlio Lancellotti, a apresentadora Ana Maria Braga e a atriz Deborah Secco se manifestaram com firmeza sobre uma série de problemas sociais, como a misérias nas ruas, a falta de vacinas e casos de violência policial.

No vídeo em que fala do episódio, publicado em seu perfil no Instagram (veja abaixo), Claudia Leitte observa: "Mais do que um desabafo, era um momento em que eu precisava muito ter consciência do meu papel social. E eu não tive. Não sei por que cargas d'água eu dei uma resposta evasiva".

E acrescenta: "Eu precisava ter falado das minhas indignações para levantar questões, discussões saudáveis. Eu precisava ter falado que me indigna o fato que as pessoas não usam máscaras. Continuam aglomerando, promovendo aglomerações, incitando aglomerações. Isso mata, tá comprovado".

Claudia afirmou ainda: "O noticiário sangra todos os dias. O número de pessoas passando fome é revoltante, é triste, é desesperador. Sufoca. E eu não falei sobre isso. Não falei sobre as mulheres que sofrem violência. Não falei que eu me indigno com o fato de que não tem vacina para todo mundo no meu país."

E concluiu: "Isso me indigna e não poderia ter deixado essa oportunidade passar. Vim aqui para pedir desculpas. Eu não usei da ferramenta que eu tenho para fazer alguma diferença. Quero me redimir disso. Posso ser um agente de mudanças."