PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Diretora da Globo detalha "Caixa Mágica" e cobertura dos Jogos de Tóquio

Jogos Olímpicos de Tóquio vão ocorrer entre  23 de julho e 8 de agosto -                                 AFP
Jogos Olímpicos de Tóquio vão ocorrer entre 23 de julho e 8 de agosto Imagem: AFP
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

09/04/2021 14h41

Adiados por causa da pandemia de coronavírus, os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, foram reprogramados para este ano, entre 23 de julho e 8 de agosto. A crise sanitária mundial afetou seriamente o evento e, também, os planos de cobertura da Globo, detentora dos direitos de transmissão no Brasil.

Com as restrições impostas pela pandemia, o estúdio da emissora que seria na Baía de Tóquio será montado nos Estúdios Globo, no Rio. Apelidado de "Caixa Mágica", a emissora promete recursos de "tecnologia de ponta para fazer com que o público se sinta na capital japonesa".

Uma equipe mais enxuta, apenas com repórteres e produtores, será enviada ao Japão, enquanto todos os narradores e apresentadores atuarão a partir do estúdio no Rio.

Bernardinho - Reprodução  - Reprodução
Bernardinho durante programa "Conversa com Bial"
Imagem: Reprodução

O SporTV terá um programa diário comandado pelo jornalista Marcelo Barreto e por Bernardinho.

"Apesar de ser uma edição atípica por causa das restrições provocadas pela pandemia, a Globo não vai alterar a qualidade de sua entrega para o público", promete Joana Thimóteo, diretora de Eventos do Esporte da Globo.

Joana detalhou ao UOL alguns aspectos da cobertura da Olimpíada:

Transmissão no horário nobre
Quando se pensa em um evento realizado no Japão, a primeira ideia é que tudo vai acontecer durante a madrugada. Mas não será assim. Teremos disputas olímpicas importantes à noite, no horário nobre, abrindo nossa faixa olímpica, e também pela manhã. Como sempre acontece durante a realização de grandes eventos, a programação da TV Globo passará por ajustes para que os brasileiros possam acompanhar as principais disputas ao vivo, especialmente as que envolvem atletas nacionais.

SporTV
Além das 200 horas de transmissão ao vivo na TV Globo, o SporTV terá 4 canais exclusivos para os Jogos e vamos lançar um programa novo, diário, por volta das 18h, que será comandado pelo Marcelo Barreto e pelo Bernardinho. Nossa expectativa também é que haja uma grande procura por conteúdo olímpico nas manhãs, quando a pessoa acordar e quiser saber o que perdeu de madrugada.

Tamanho da equipe
A equipe que viajará para Tóquio ainda não está 100% fechada porque estamos aguardando as orientações finais do COI e do Comitê Organizador, assim como veículos do mundo todo. Optamos por fazer do Brasil nosso estúdio olímpico e nossas narrações dos eventos ao vivo. Com essa decisão, poderemos mandar para Tóquio um grupo dedicado a reportagem e produção. Se por um lado nossa equipe que viajará precisará ser menor, por outro, com os programas e narrações feitos daqui, teremos um leque imenso de produção de conteúdo. Praticamente toda a equipe do Esporte estará envolvida nessa cobertura.

Impacto comercial
A pandemia e a consequente incerteza sobre a realização dos Jogos Olímpicos causaram uma retração natural do mercado. Há uma espera pela garantia de que o evento realmente vai acontecer, o que é compreensível. Mas os Jogos Olímpicos naturalmente já são um evento especial, que desperta identificação com as marcas. A nossa aposta é que essa edição, justamente pelo momento difícil que o mundo atravessa, terá ingredientes ainda mais especiais.

O fator "emoção"
Serão Jogos únicos do ponto de vista da emoção. Há muito simbolismo envolvido nessa edição. Superação, resiliência e diversidade, temas tão recorrentes no evento, serão amplificados. Os atletas vão representar os encontros que todos tanto aguardamos. A inclusão de novos esportes, como surfe, escalada e skate, trazem novas opções para as marcas conectadas com o público jovem. E a aposta de Simone Biles como grande nome do evento e o aumento da participação das mulheres falam diretamente com o público feminino. É um evento que vai reconectar o mundo. A Globo participará dessa conexão e, temos certeza, que as marcas parceiras também.

A "Caixa Mágica"
Claro que não vamos esconder que estamos no Brasil, mas a ideia é que o estúdio dê a sensação de que o público está na capital japonesa. Desta vez a perspectiva será de 270º o que vai gerar uma amplitude muito mais impactante. Será uma versão aprimorada da "Caixa Mágica" que montamos no estúdio da Copa da Rússia em 2018. Saímos da Baía de Tóquio, mas o público não sairá do Japão. Vamos trabalhar com muitas soluções virtuais. Estar no Brasil também permite mais participações presenciais no estúdio olímpico, com o time do Esporte, ex-atletas e talentos da Globo de maneira geral reunidos nesse grande momento.