PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Sem Faustão, Globo tem a chance de inovar na sua programação de domingo

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

25/01/2021 12h15

A notícia de que Faustão deixará a Globo ao final de 2021, após 32 anos no comando do "Domingão", pegou todo mundo de surpresa, mas não deixa de ser previsível. Num momento de tantas mudanças na emissora, faz muito sentido buscar alternativas a um programa que está no ar há três décadas.

A saída de Faustão, como sugerido pelo colunista Flavio Ricco, o primeiro a noticiar, e dito claramente pelo próprio apresentador ao colunista Daniel Castro, ocorreu após a Globo propor levar o seu programa para as noites de quinta-feira.

Com a possibilidade, também, da saída de Luciano Huck, caso se confirme a sua intenção de disputar eleições em 2022, a Globo vislumbra uma chance de mudança expressiva na programação dos finais de semana.

Agora com Ricardo Waddington no comando do Entretenimento, a emissora tem a chance de quebrar alguns paradigmas e tentar algumas inovações. Arrisco algumas sugestões sobre o assunto.

Primeiro, acho importante não pensar em um "novo Faustão". Seria um equívoco buscar alguém supostamente com o estilo do apresentador. Não há.

Segundo, não é necessário ter um mesmo apresentador no comando de uma atração um ano inteiro. É possível buscar diferentes atrações em formato de temporadas, com linguagens diferentes.

Terceiro, vale a pena arriscar e testar diferentes figuras no comando de programas dominicais. Por que não uma mulher, por exemplo?

A hora é agora, como diria Faustão.