PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Mestre na arte de fazer chorar, Geraldo Luis agora quer fazer rir

Renato Aragão, a filha Livian e a mulher, Lilian, são os primeiros entrevistados do novo programa de Geraldo Luís - Divulgação/Record
Renato Aragão, a filha Livian e a mulher, Lilian, são os primeiros entrevistados do novo programa de Geraldo Luís Imagem: Divulgação/Record
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

18/01/2021 16h22

Afastado da televisão desde 13 de março de 2020, Geraldo Luis volta ao ar nesta quarta-feira (20) com "A Noite É Nossa", um programa de auditório noturno que pretende prestar homenagem a antigos programas e apresentadores de televisão, como Flavio Cavalcanti, Chacrinha, Bolinha e Silvio Santos.

Por seis anos, entre 2014 e 2019, Geraldo comandou o "Domingo Show", um programa apelativo, com histórias intermináveis, explorando dramas humanos.

A missão agora é radicalmente diferente. Como explicou o diretor João Scortecci, a ordem agora é fazer o público rir. "Eu falo pro Geraldo: chorar só de rir. O público quer rir. Chega de chorar".

Geraldo Luis - Reprodução - Reprodução
Geraldo Luis apresenta em entrevista como será o programa A Noite É Nossa
Imagem: Reprodução

"Sou um aprendiz. É a chance de nascer um novo Geraldo", disse o apresentador durante entrevista coletiva online nesta segunda-feira. "Vou contar histórias, mas um pouco mais curtas. À noite, o povo quer rir, quer se emocionar".

Serão 14 episódios, inicialmente, às quartas, às 22h45, com a proposta de fazer uma "releitura" de programas de nomes que Geraldo admira. "A essência da televisão são os programas de auditório", diz Scortecci.

"A vontade de acertar é muito grande. Não sou um personagem. Sou eu. Natural. A gente fazia chorar porque emocionava. Quero muito aprender a fazer rir", disse Geraldo. "Vou ter um time que vai me ensinar. A noite é pra rir. Estou com uma vontade enorme de acertar".

Questionado sobre os muito apresentadores que citou como referência, Geraldo disse: "Toda essa gente está dentro de mim. Vou bater no liquidificador".

Confinado em casa, por causa da pandemia de coronavírus, Geraldo diz que passou os oito meses "estudando muito televisão", e parece muito feliz com esta volta. "Audiência é uma consequência da qualidade, do conteúdo", disse o apresentador.