PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Mudança na dinâmica da roça é boa, mas público devia ter sido avisado antes

A Fazenda 2020: Marcos Mion anuncia as novidades na formação da próxima roça - Reprodução/Playplus
A Fazenda 2020: Marcos Mion anuncia as novidades na formação da próxima roça Imagem: Reprodução/Playplus
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

24/11/2020 07h01

Já defendi várias vezes que a direção da "Fazenda" precisa surpreender os peões, tirá-los do conforto em que estão e obrigá-los a pensar rápido em situações inesperadas.

Nesta segunda-feira (23), Marcos Mion avisou ao público que a formação da roça nesta terça-feira (24) terá uma dinâmica diferente. "Pegaremos a peãozada no susto", disse o apresentador antes de anunciar as novas regras.

Duas serão as novidades principais. Na votação do segundo roceiro, só os peões da sede vão votar e só eles próprios poderão ser votados. E o terceiro roceiro não vai ser puxado da baia, mas sim de uma nova votação onde só os participantes da baia votam.

Em tese, a nova dinâmica é uma boa notícia. Vai, realmente, surpreender os peões, o que é ótimo.

Mas, em nome da transparência, uma alteração dessas deveria ter sido comunicada por Mion ao público bem antes, no momento em que teve início o ciclo semanal da "Fazenda". Ou seja, antes da prova que colocou Jojo Todynho como fazendeira.

Anunciando a mudança só agora, quando já sabemos quem está na sede e quem está na baia, é possível suspeitar que a novidade tenha sido pensada para beneficiar ou prejudicar algum participante.

Acredito que não tenha sido, mas a direção do programa não deveria deixar aberta esta possibilidade.

Bato muito nesta tecla da transparência porque acho que é uma questão fundamental hoje em reality show. A gente lembra com um sorriso no rosto da gestão com regras tiradas da cartola por Silvio Santos na "Casa dos Artistas" ou de muitas decisões arbitrárias de Boninho nos primórdios do "BBB" ou de invenções de Rodrigo Carelli no início da "Fazenda". Mas, nos dias atuais, com tantos interesses envolvidos, não dá mais.

Siga a coluna no Facebook , no Twitter e no Instagram.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL