PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

"Arena SBT" conta a história de um erro anunciado

O apresentador Benjamin Back no cenário do novo "Arena SBT" - Reprodução/SBT
O apresentador Benjamin Back no cenário do novo "Arena SBT" Imagem: Reprodução/SBT
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

22/11/2020 06h01

Televisão não é ciência. O conhecimento acumulado, as informações oferecidas por pesquisas e a experiência prática ajudam muito na hora de tomar decisões, mas não são garantia de acerto. Erros em programação, eventualmente, não têm uma explicação razoável.

Digo isso para comentar um caso de erro de programação que vai na direção oposta. Pois se trata de um erro previsível, enxergado por todo mundo que acompanha o meio. Falo do programa esportivo "Arena SBT", que a emissora de Silvio Santos estreou no final de outubro.

Exibidas as primeiras quatro edições, o "Arena SBT" acumula média de audiência de 2,5 pontos em São Paulo. É um índice muito ruim, que deixa o canal distante dos dois principais concorrentes, Globo e Record. Para piorar, o programa derrubou a audiência do "The Noite", que é exibido em seguida.

Diferentemente da promessa de renovar o gênero, trata-se de uma mesa-redonda tradicional de futebol, comandada por Benjamin Back, com a presença de outros comentaristas. Por mais de uma hora, ficam discutindo detalhes da rodada do Brasileirão, com ênfase nos times de São Paulo. Todos falam ao mesmo tempo e raramente fazem observações originais.

O mau desempenho do programa era previsível por vários motivos. Primeiro: o péssimo dia e o tardio horário de exibição, às segundas, entre 23h30 e 0h45. Segundo: o perfil do público do SBT, que não combina com este tipo de programa. Terceiro: o fato de seguir um modelo antigo, ultrapassado, de debate esportivo. Quarto: compete num segmento que já é muito bem servido na TV por assinatura. Quinto: é gravado e não ao vivo.

O "Arena SBT" aparentemente integra o pacote que a emissora comprou ao adquirir, em setembro, os direitos de transmissão dos jogos da Libertadores. Como as partidas são, normalmente, às terças e quartas, uma tentativa que a emissora poderia fazer seria mudar o programa de debates para um destes dois dias.

Stycer recomenda
Disney : Testamos e te contamos como funciona

Falta de transparência com público vira "erro de comunicação" na Fazenda

'The Crown': O que é verdade e ficção na trama de Diana e Charles

"Acho que a gente andou para trás, em vez de avançar", diz Laura Cardoso

Melhor da semana
Oito ex-BBBs apostam na fama adquirida na TV, mas fracassam nas urnas

Pior da semana
Record ignora pesquisa que pediu e exibe outra mais favorável a Crivella

Podcast
Disney+ chega ao Brasil para fazer frente à Netflix, mas com acervo incompleto

Uma versão deste texto foi publicada originalmente na newsletter UOL Vê TV, que é enviada às quintas-feiras por e-mail. Para receber, gratuitamente, é só se cadastrar aqui.

Siga a coluna no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL