PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

JN critica "politização evidente" por parte de Bolsonaro de teste de vacina

William Bonner e Renata Vasconcellos em editorial do Jornal Nacional sobre os 100 mil mortos por Covid-19, em agosto  - Reprodução / Internet
William Bonner e Renata Vasconcellos em editorial do Jornal Nacional sobre os 100 mil mortos por Covid-19, em agosto Imagem: Reprodução / Internet
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

10/11/2020 21h24

Em uma longa cobertura sobre a decisão da Anvisa de determinar a suspensão dos testes da Coronavac, o "Jornal Nacional" tratou de forma dura a atuação do presidente Jair Bolsonaro no caso. Indo além do noticiário, o telejornal explicitou a sua opinião sobre o que ocorreu nesta terça-feira (10).

"O anúncio da suspensão dos testes da Coronavac, uma das vacinas contra a covid, acabou provocando indignação com a politização evidente do assunto pelo presidente Jair Bolsonaro", disse Renata Vasconcellos.

"Numa rede social, ele comemorou o que achava ser um fracasso da vacina do Instituto Butantan e disse que era uma vitória dele, Jair Bolsonaro. Na verdade, a causa da morte do voluntário não teve nada a ver com a vacina. Foi mais um caso triste de suicídio".

A vacina está sendo desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo.

O telejornal dedicou 24 minutos ao assunto, uma enormidade. Abriu espaço para políticos de vários partidos da oposição e cientistas criticarem o governo. Ouviu representantes do governo de São Paulo e, também, da Anvisa.

"Não foi a primeira vez que Jair Bolsonaro atacou a vacina desenvolvida em São Paulo. E também não foi a primeira vez que o presidente colocou os interesses políticos acima da ciência", registrou Renata em outro momento da cobertura.