PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

JN e Band realçam impacto da eleição de Biden no Brasil; Record minimiza

Trump é chamado de "mau perdedor" durante reportagem de Eleonora Paschoal no "Jornal da Band" - Reprodução
Trump é chamado de "mau perdedor" durante reportagem de Eleonora Paschoal no "Jornal da Band" Imagem: Reprodução
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

07/11/2020 20h33Atualizada em 07/11/2020 21h43

A eleição de Joe Biden nos Estados Unidos foi tema dos principais telejornais da TV aberta brasileira, com exceção do SBT, que não exibiu o seu jornalístico por causa do Teleton.

A noite de sábado (07) começou com uma longa cobertura do "Jornal da Band". Com dois correspondentes nos Estados Unidos, o telejornal mostrou a repercussão do resultado eleitoral e ironizou a resistência do presidente Donald Trump em aceitar a derrota.

Durante uma reportagem de Eleonora Paschoal, da Flórida, Trump foi chamado de "mau perdedor" por um letreiro na tela. Em outro momento, anunciando um novo bloco do telejornal, o apresentador Eduardo Oinegue disse: "Mais informações sobre a vitória de Biden e o esperneio de Trump".

O telejornal também destacou o silêncio do presidente Jair Bolsonaro em relação ao resultado da eleição em uma longa reportagem sobre o impacto que a vitória de Biden pode ter sobre o Brasil.

"O presidente Jair Bolsonaro decidiu não se manifestar formalmente, pelo menos por enquanto. A justificativa é de que Donald Trump deve questionar o resultado da eleição na Justiça e é preciso esperar uma decisão. Trump era, disparado, o candidato favorito do governo", disse o "Jornal da Band".

Igualmente com uma cobertura extensa, e informações de cinco correspondentes, o "Jornal Nacional" foi quem mais dedicou tempo às implicações da eleição de Biden para o Brasil. O telejornal ouviu inúmeros especialistas, que criticaram a política externa brasileira, mostraram que o apoio de Bolsonaro a Trump não resultou em maiores benefícios ao país e levantaram possíveis dificuldades nas relações com o novo governo.

O telejornal registrou em detalhes as manifestações de congratulações recebidas por Biden de líderes de diversos países, com exceção da Rússia, China e Israel.

Já no "Jornal da Record", com uma cobertura mais enxuta e contida, a atitude de Bolsonaro mereceu apenas uma frase: "O presidente Jair Bolsonaro não comentou publicamente a vitória de Joe Biden na eleição americana".

O telejornal observou ainda: "O Ministério das Relações Exteriores ainda não se manifestou sobre a eleição de Joe Biden nos Estados Unidos. Com o democrata eleito o governo brasileiro poderá ter que rever algumas posições na política externa atualmente alinhada com o presidente Donald Trump."

O SBT optou por não exibir o seu telejornal neste sábado. Com cobertura do Teleton das 10h30 às 20h30, a emissora de Silvio Santos se limitou a falar da vitória de Biden em um flash inserido durante o Teleton.