PUBLICIDADE
Topo

Reprise de Fina Estampa teve mais ibope que 2 tramas originais de Aguinaldo

Christiane Torloni viveu Tereza Cristina, a grande vilã de "Fina Estampa" - Reprodução / Internet
Christiane Torloni viveu Tereza Cristina, a grande vilã de "Fina Estampa" Imagem: Reprodução / Internet
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

18/09/2020 14h20

A Globo exibe nesta sexta-feira (18) o último capítulo da reprise de "Fina Estampa". Escalada às pressas para substituir "Amor de Mãe", cujas gravações foram suspensas em março por causa da pandemia de coronavírus, a volta da novela de Aguinaldo Silva foi um sucesso.

De "Insensato Coração" (2011) à "Amor de Mãe" (2019), a Globo exibiu 17 novelas das 21h nesta década. "Fina Estampa", apresentada entre 22 de agosto de 2011 e 23 de março de 2012, em 185 capítulos, foi a que registrou a melhor de audiência entre todas, em São Paulo - uma média de 39,1 pontos.

A reprise, condensada para 155 capítulos, chegará ao fim com uma média de 33,6 pontos e impressionantes 51% de share (o percentual de aparelhos ligados no horário).

Com esta média, a reprise de "Fina Estampa" conseguiu um desempenho melhor do que oito das 17 novelas exibidas pela Globo nesta década na faixa das 21h. Em agosto, tentei explicar este fenômeno impressionante. Veja aqui.

No ranking das tramas que registraram médias inferiores estão, inclusive, as duas últimas novelas que Aguinaldo Silva escreveu para a emissora, "Império" (2014), que teve média de 32,7 pontos, e "O Sétimo Guardião" (2018), que ficou com média de 28,8 pontos.

Entre as tramas originais com resultado de audiência inferior à reprise de "Fina Estampa" inclui-se a própria "Amor de Mãe", de Manuela Dias, cujos primeiros 103 capítulos tiveram média de 30 pontos.

E também, em ordem decrescente de resultado, "Em Família" (2014), de Manoel Carlos, "Velho Chico" (2016), de Benedito Ruy Barbosa, "A Regra do Jogo" (2015), de João Emanuel Carneiro, "A Lei do Amor" (2016), de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, e "Babilônia" (2015), de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e Joâo Ximenes Braga.

"A Força do Querer", de Gloria Perez, cuja reprise tem início nesta segunda-feira, foi exibida originalmente entre 3 de abril e 21 de outubro de 2017, em 172 capítulos. A média geral de audiência, de 35,7 pontos, coloca a trama entre as sete melhores da década.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL