PUBLICIDADE
Topo

Após pico de audiência no primeiro semestre, GloboNews perde público

Um dos canais mais vistos da TV paga, a GloboNews está registrando perda de audiência - Reprodução / Internet
Um dos canais mais vistos da TV paga, a GloboNews está registrando perda de audiência Imagem: Reprodução / Internet
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

28/08/2020 11h49

A busca por informações sobre a pandemia de coronavírus provocou a partir de março uma explosão de audiência em todas as mídias informativas - TV aberta, canais por assinatura, internet, jornais etc. Cinco meses depois, os números de audiência mostram um declínio do interesse por notícias.

A GloboNews, que registrou grande crescimento de audiência no primeiro semestre, começa a sentir os efeitos deste cansaço do público, ainda que continue muito bem ranqueada. Em julho, por exemplo, o canal chegou ao posto de segundo mais visto na TV paga no PNT (Painel Nacional de Televisão), atrás apenas do Viva.

Em números absolutos, foi o canal que mais perdeu público desde o final de maio, entre todos do universo da TV paga.

Na comparação entre os números de maio e agosto (dia 19), o canal registra uma perda acumulada de 0,4 ponto de audiência na faixa das 24 horas do dia. Foi de uma média de 0,93 ponto em maio para 0,75 em junho, depois 0,60 em julho e 0,56 nos primeiros 19 dias de agosto.

O desempenho é semelhante no chamado horário nobre, das 18h à 0h. A perda é de 0,5. Vai de 1,27 ponto em maio para 1,07 em junho, 0,82 em julho e 0,80 nos primeiros 19 dias de agosto.

Em números absolutos, a perda de 0,4 ponto na faixa das 24 horas no PNT, segundo dados do Kantar Ibope, significa que 36 mil domicílios (ou 41 mil pessoas) deixaram de assistir à GloboNews no período.

Já a queda de 0,5 ponto no horário nobre, das 18h às 24h, representa 44 mil domicílios (ou 56 mil indivíduos) a menos assistindo ao canal de notícias da Globo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL