PUBLICIDADE
Topo

Marcelle Carvalho

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

'Segunda Chamada' chega com seis episódios e alunos em situação de rua

 Silvio Guindane, Hermila Guedes, Débora Bloch, Paulo Gorgulho e Thalita Carauta na série Segunda Chamada - Mauricio Fidalgo/Globo
Silvio Guindane, Hermila Guedes, Débora Bloch, Paulo Gorgulho e Thalita Carauta na série Segunda Chamada Imagem: Mauricio Fidalgo/Globo
Conteúdo exclusivo para assinantes
Marcelle Carvalho

Marcelle Carvalho é jornalista que cobre, há duas décadas, o universo da televisão. Suas maiores paixões são novelas e séries, que serão abordadas aqui a partir da visão de quem vê e de quem faz.

Colunista do UOL

16/08/2021 04h00

Agora que a quarta temporada de "Sob Pressão" já estreou, a expectativa daqueles que gostam de série com essa pegada mais realista é pela chegada de "Segunda Chamada". A previsão é que a nova edição comece a ser exibida em setembro no Globoplay. Ainda bem, porque é o tipo de produção que faz uma falta enorme. Principalmente, porque fala sobre a educação, um tema que deve ser debatido constantemente, e de seus heroicos professores.

Idealizada inicialmente para ter 12 episódios, "Segunda Chamada" terá apenas seis. A pandemia atingiu em cheio o andamento da produção, cujas gravações tiveram que ser interrompidas por duas vezes: uma logo no início de 2020 e a outra em maio deste ano. Mas o menor número de episódios não vai interferir na profundidade da trama. Só pela premissa desta temporada, focada nos moradores em situação de rua, a gente já percebe que vem pedreira por aí. E Lúcia (Débora Bloch) vai ser a responsável por uma revolução ao levar alguns deles para estudar na Escola Estadual Carolina Maria de Jesus.

Sério? Como isso vai se dar, gente?

Quando a trama começar, veremos a escola em uma situação bem complicada. A evasão escolar assombra a unidade, fazendo, inclusive, com que o curso noturno esteja perigando a ser cancelado. Isso seria o caos não só na vida dos alunos, ansiosos pelo novo ano letivo, como também na dos professores, que fazem o possível e impossível por aqueles estudantes.

Todos estão preocupados e angustiados com o futuro. Até que um dia, Lúcia, passando de ônibus, olha moradores em situação de rua e tem uma ideia: ela vai até eles e os convence a estudar. A iniciativa da professora faz com que a unidade não feche. Em contrapartida, várias situações conflituosas são deflagradas por conta desses novos alunos que chegam quase de paraquedas na Escola Estadual Carolina Maria de Jesus.

Em breve, mais cenas dos próximos capítulos!