PUBLICIDADE
Topo

Luciana Bugni

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Por que uma mulher forte como Zuleica se humilha por homem em Pantanal?

Família fora da família: Marcelo (Lucas Leto), Tenório (Murilo Benício), Zuleica (Aline Borges), Roberto (Caue Campos) e Renato (Gabriel Santana) em "Pantanal" - Globo/João Miguel Júnior
Família fora da família: Marcelo (Lucas Leto), Tenório (Murilo Benício), Zuleica (Aline Borges), Roberto (Caue Campos) e Renato (Gabriel Santana) em 'Pantanal' Imagem: Globo/João Miguel Júnior
só para assinantes
Luciana Bugni

Luciana Bugni é gerente de conteúdo digital dos canais de lifestyle da Discovery. Jornalista, já trabalhou na "Revista AnaMaria", no "Diário do Grande ABC", no "Agora São Paulo", na "Contigo!" e em "Universa", aqui no UOL. Mora também no Instagram: @lubugni

Colunista do UOL

25/06/2022 04h00

Duas mulheres têm o mesmo marido. Uma delas sabe que o cara é comprometido e respeita isso aceitando suas longas ausências para ficar com a outra família. Outra nunca soube, sempre foi destratada por ele e descobriu a traição que destruiu ainda mais sua autoestima. A história narra o impasse protagonizado por Tenório (Murilo Benício) e suas duas mulheres, Maria (Isabel Teixeira) e Zuleica (Aline Borges).

Maria, apelidada pelo próprio marido de Bruaca, ao perceber que foi enganada, parte para sua vingança. Como não é boba como pensam, se atira para cima de Alcides (Juliano Cazarré) e colhe a plenitude de longas e quentes noites de amor. Descobre o prazer, o desejo e a reciprocidade, tudo de uma vez.

Zuleica, mulher esclarecida da cidade grande, não precisa do marido que divide com a outra — nem aceita lavar suas roupas, por exemplo. A revelação do que ela sempre soube não a abala. Em nenhum momento questiona a relação pela metade. Apesar do romance não ser mais escondido, ela segue se comportando como a amante que aceita os sumiços de seu homem. Seus filhos questionam ausência do pai e direitos sobre a grana que ele esconde no Centro-Oeste.

Zuleica segue inabalável. Em dado momento, lamenta a sorte de Tenório: "coitado de seu pai", diz, para indignação do filho, que cobra a parte que lhe cabe nesse latifúndio (literalmente).

Por que mulheres fortes e inteligentes aceitam essa condição?

Diferentemente de Bruaca, Zuleica se sente completa por Tenório. Talvez esconda algum segredo também, mas sabe de sua condição desde sempre. Enquanto meio mundo acha um absurdo viver um amor pela metade, ela tem para si que aquele é seu amor inteiro — afinal, é o máximo que ela já teve. Um casamento meio diferente do padrão, mas ainda assim, o casamento como ela conhece.

A situação, porém, é mais complicada do que parece. Ao viver sua relação por tantos anos, ela magoa outra mulher. Se Zuleica teve o direito de escolher aceitar ou não viver um casamento pela metade, Maria sequer teve essa opção. A piedade que sente na difícil situação na qual se meteu Tenório não faz muito sentido, afinal, foi ele que escolheu não deixar uma das duas — e segue assim mesmo agora, após o segredo revelado.

Zuleica e Bruaca seriam muito mais fortes juntas, se apoiando, cuidando de seus filhos. Deve ter um Alcides por aí para Zuleica também. E mesmo se não tiver, quem liga para isso quando entende a liberdade e a força de saber ser sozinha? É o que eu desejo para todas as Zuleicas e Bruacas que sofrem por aí por Tenórios que nem são assim grande coisa.

Você pode discordar de mim no Instagram.