PUBLICIDADE
Topo

Luciana Bugni

Há sabedoria em terminar amizades, como Anitta e Lary Bottino?

Anitta: errada não está - Divulgação
Anitta: errada não está Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes
Luciana Bugni

Luciana Bugni é gerente de conteúdo digital dos canais de lifestyle da Discovery. Jornalista, já trabalhou na "Revista AnaMaria", no "Diário do Grande ABC", no "Agora São Paulo", na "Contigo!" e em "Universa", aqui no UOL. Mora também no Instagram: @lubugni

Colunista do UOL

11/08/2021 19h04

Falar de Anitta rende. Falar mal de Anitta rende ainda mais. Por isso, tem sempre alguém alfinetando a cantora nas redes sociais. Na terça (10), a influencer e ex-amiga Lary Bottino e a ex-modelo Andressa Urach fizeram comentários sobre ela.

Sem novidades. Mas o que chama a atenção mesmo foi o jeito que Anitta respondeu e as reflexões sobre amizades terminadas nos tempos atuais. Quem não perdeu um amigo nos últimos meses? Ou vários?

Lary estava papeando no Instagram quando perguntaram sobre a amizade de Anitta com alguém. Ela respondeu que acha que eles têm que aproveitar "antes dela renovar o ciclo, antes da próxima estação do ano ou cidade nova". E completou que esse é o jeitinho da ex-amiga, com desdém.

Anitta respondeu em um perfil de notícias de celebridade no Instagram. Senta que lá vem textão. "Exatamente meu jeitinho, dou a mão, o braço, a casa, as asas pra pessoa voar... Se a pessoa é compatível com o tipo de caráter que eu gosto de ter ao meu lado e não muda o jeito de ser conforme vai crescendo na vida, eu mantenho por perto como as dezenas de amigos famosos e anônimos que eu tenho há mais de 10 anos e nunca nos abandonamos...", ela afirmou.

E depois, plau: "Caso contrário, eu realmente não tenho necessidade nenhuma mesmo de manter na minha vida só pro povo da Internet achar que eu sou amiga de todo mundo. Gostou, tá gostado. Não gostou? É só não se aproximar quando estiver precisando."

Na vida de Anitta, uma mulher poderosa que diz sempre o que pensa, sempre tem muita gente orbitando. E ela gosta de viver em galera: deve ser difícil filtrar quem vale a pena e quem não é tão legal assim. Afinal, quantos dos seus amigos você sabia que seriam seus amigos de longa data logo no começo da amizade?

Manter na vida pra quê?

"Não tenho necessidade nenhuma de manter na minha vida", a frase ecoa na cabeça de todo mundo que teve rompimentos nos últimos meses. Tem amizade que balançou porque um era pró-isolamento e o outro pró-aglomeração. Tem amigo que rompeu com outro porque a relação deixou de fazer sentido: se você não pode contar com alguém no pior momento, vai manter a relação por quê? Tem quem não valha a pena se não for numa mesa de bar na sexta-feira à noite — aí não há zoom que dê conta de manter o diálogo vivo.

Se amigos do passado viraram isso aí do parágrafo de cima, talvez seja melhor fazer a Anitta e tirar da nossa vida.

Claro que sobrou gente que manteve o papo em dia no distanciamento, online, do jeito que deu. Tem mensagem que salvou a vida e renovou a esperança.

E tem quem simplesmente não tenha dado conta de sustentar a própria confusão mental e a pandemia e manter as amizades. Acontece. Se ainda existir amor pelo amigo passado tudo isso, nos cabe perdoar as mancadas e seguir. E se perdoar também: será que não abandonamos alguns parças pelo caminho por pura inabilidade de sobreviver com tanta coisa acontecendo?

Anitta está certa, há dezenas de amigos que mantemos pela vida. São eles que salvam nossa vida diversas vezes. Outros vão indo. Às vezes dói, mas dói menos que forçar uma relação que já se foi.

Eu agradeço aos que ficaram todos os dias. Espero que possamos nos rever em breve. Temos muito ainda por fazer. Apenas começamos. O mundo (re)começa agora.

Você pode discordar de mim no Instagram.

PS: Esse texto é pra Virginia. De novo.