PUBLICIDADE
Topo

Luciana Bugni

Fofoca de Faro e Zezé: se eles pararam de brigar, o que faremos agora?

Faro e Zezé em gravação: "a gente não era brother?" - Divulgação Record
Faro e Zezé em gravação: "a gente não era brother?" Imagem: Divulgação Record
Conteúdo exclusivo para assinantes
Luciana Bugni

Luciana Bugni é gerente de conteúdo digital dos canais de lifestyle da Discovery. Jornalista, já trabalhou na "Revista AnaMaria", no "Diário do Grande ABC", no "Agora São Paulo", na "Contigo!" e em "Universa", aqui no UOL. Mora também no Instagram: @lubugni

Colunista do UOL

06/07/2021 09h11

Tenho um grupo de WhatsApp com minhas amigas que sempre teve uma lei interna de não ceder aos áudios. São anos de amizade, elas no Rio e eu em São Paulo. Conversávamos quase que diariamente. Vivemos puerpérios, separação, casamento. Tudo sem áudio.

Ontem, estávamos empolgadas falando de bastidores do jornalismo quando percebi que não tinha contado um história importantíssima de uns meses atrás. Elas ficaram interessadas, eu tive que responder que não conseguia desenvolver o assunto — era comprido e cheio de personagens — por escrito. "Pena que áudios não são permitidos. Nem pra fofoca?", eu disse.

Na própria segunda (5), uma fofoca havia mexido com o brasileiro.

*Resumo breve da fofoca *

Rodrigo Faro positivou para Covid. Ele havia acabado de gravar um programa no SBT, alguém levantou a lebre de que ele não havia sido testado antes disso — um susto para quem trabalha no audiovisual, pois a testagem é rigorosa e os trabalhos de quem está em frente as câmeras geralmente são sem máscara. Faro ficou nervoso, cobrou explicações da emissora (ele havia sido testado em outro lugar no mesmo dia). O SBT explicou (confirmando a versão de Faro). Tudo certo, apresentador passa bem, mas está doente. Precisa se cuidar. Assunto encerrado?

*Fim do resumo da fofoca*

Opa, pera

Não, o assunto não se encerrou. Zezé di Camargo, que ainda não tinha entrado na história, como no poema de Drummond, achou que estava na hora de dar sua opinião. E criticou Faro por fazer "circo" da situação.

Só frisando: o apresentador está com Covid e estava sendo acusado de recusar um teste. Isso seria uma atitude de extrema irresponsabilidade, já que ele poderia ter passado para colegas de trabalho. Faro exigiu que a emissora explicasse.

Zezé o acusou de fazer qualquer coisa por audiência — O teste? A doença? A cobrança? Não sabemos.

É, não tem pé nem cabeça. Mas estamos aqui escrevendo (eu) e lendo (vocês) sobre isso. Sabem me explicar por quê?

Por que a gente se alimenta de fofocas sem fundamento?

Eu sei: porque não aguentamos mais não ter nada para falar! Não tem novidades nesse mundo pandêmico. A gente não quer falar de doença, a gente não quer sofrer com o governo, a gente quer entretenimento de qualidade. Zezé também estava entediado, então criou um entretenimento para si (entrou numa briga que nada tinha a ver com ele) e para nós (que temos menos ainda a ver com isso).

O tédio, meus amigos, nos transforma no que nunca imaginamos. Meu amigo Leandro Carneiro escreveu aqui um tratado sobre o Miss Bumbum (sim, o concurso) e o talento de Andressa Urach à frente — e não de costas — da atração.

Renata Correa foi certeira na CPI, comparando pessoas reais a personagens clássicos de reality shows. Um amigo, aliás, ficou transtornado dia desses quando Wizard decidiu não dar depoimento: "não tem mais sessão essa manhã e eu fico muito bravo quando estragam meu entretenimento", ele disse. É vazio que chama.

Não é falta de cultura, é sinal dos tempos: brasileiro se alimenta de figurinha de WhatsApp, meme e fofoca. Tem dia que tem umas melhores. No outro dia a gente tem que se contentar com Zezé e Rodrigo Faro brigando nos stories. A situação está triste.

Áudio para fofoca está liberado!

A propósito, duas das minhas amigas se apressaram em dizer ok para o áudio. Tomaram logo 5 minutos de entretenimento na testa via uma fofoca meio velha, de meses atras, que eu havia esquecido de passar na hora. A quarta integrante do grupo não respondeu nada — ou ela ficou brava de quebrarmos a regra do áudio, ou estava entretida com alguma fofoca de melhor qualidade. Vai saber.

Você pode discordar de mim no Instagram. Ou quem sabe me mandar fofoca no direct? Mas o que eu desejo de verdade (para todos nós) são livros de qualidade e cultura de verdade nessa terça.