PUBLICIDADE
Topo

Leandro Carneiro

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Uma das cenas mais emocionantes da Globo nos Jogos passou despercebida

Diego Moraes consola Aline Silva na zona mista - Reprodução/Globo
Diego Moraes consola Aline Silva na zona mista Imagem: Reprodução/Globo
Conteúdo exclusivo para assinantes
Leandro Carneiro

Editor de Splash, viciado por qualquer tipo de reality show, inclusive aqueles que os famosos vivem na vida real. Jornalista há mais de 10 anos e palpiteiro desde sempre. Se o assunto for esporte entro em campo também.

Colunista do UOL

02/08/2021 10h01

Todo mundo se emocionou quando Rebeca Andrade ganhou medalha de ouro. Ou quando Rayssa Leal fez história ou no momento em que Italo Ferreira conquistou o lugar mais alto no pódio do surfe. Mas uma das situações mais emocionantes da TV neste Jogos Olímpicos passou de certa forma despercebida, sem medalha, e foi protagonizada por uma atleta e um nome da Globo não tão badalados.

Na zona mista da luta olímpica, Aline Silva foi às lágrimas e foi consolada por Diego Moraes, repórter da TV Globo. Ela pediu desculpas, ele a abraçou e disse que não havia razão para isso. O jornalista tem razão.

Aline Silva foi vice-campeã mundial da modalidade em 2014. Estava em sua última competição olímpica e perdeu nas oitavas, sem chance de repescagem e deu adeus. Diego? Estava na arquibancada fazendo matéria sobre luta olímpica e incentivando a namorada.

"Confesso que foi cobertura mais tensa para mim. Aline é também minha namorada", disse Moraes. E narrou em sua matéria o momento mais difícil: "acolher Aline nos braços".

Diego sabe a dificuldade que atletas enfrentam, ele fazia parte da seleção brasileira de caratê. Mas também segue na carreira de jornalista há 11 anos, chegou na Globo em 2009, ainda como estagiário.

Ele era uma das estrelas da série Diego San, do "Esporte Espetacular". A meta era chegar nos Jogos de Tóquio, mas não conseguiu.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL