PUBLICIDADE
Topo

Leandro Carneiro

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Fim de 'Salve-se Quem Puder' ironiza Globo comunista e cidadão de bem

Alexia (Deborah Secco) e Petra ( Bruna Guerin) protagonizaram a briga no fim - Globo/João Miguel Júnior
Alexia (Deborah Secco) e Petra ( Bruna Guerin) protagonizaram a briga no fim Imagem: Globo/João Miguel Júnior
Conteúdo exclusivo para assinantes
Leandro Carneiro

Editor de Splash, viciado por qualquer tipo de reality show, inclusive aqueles que os famosos vivem na vida real. Jornalista há mais de 10 anos e palpiteiro desde sempre. Se o assunto for esporte entro em campo também.

Colunista do UOL

16/07/2021 21h39

A novela "Salve-se Quem Puder" chegou ao fim e não perdeu a oportunidade de dar uma cutucada em Bolsonaro (sem partido) e os seguidores mais fanáticos do presidente. Com boa dose de ironia, a trama colocou Petra Maximo (Bruna Guerin) xingando a própria Globo.

Tudo aconteceu quando Alexia Maximo (Deborah Secco) foi escalada para retomar seu lugar de protagonista da novela - papel que ficou com sua irmã, Petra enquanto Alexia foi dada como morta.

"É complô dessa TV comunista contra mim. Bando de comunistas. Mas o Brasil sabe o grande plano maléfico para acabar com esse país. Para acabar com as pessoas de bem. Eu sou uma cidadã de bem", falou.

Vale lembrar que Petra, ao longo da trama, ficou famosa por seu comportamento invejoso, egoísta e muito ambiciosa.

Durante sua trajetória, ela fez de tudo para conseguir o que queria na carreira (ser uma atriz de sucesso). E para isso, ela roubou o lugar da irmã, que acabou se dando melhor no fim.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL