PUBLICIDADE
Topo

Guilherme Ravache

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Netflix lançará games de séries como Stranger Things para voltar a crescer

Stranger Things deve virar game da Netflix - Reprodução / Internet
Stranger Things deve virar game da Netflix Imagem: Reprodução / Internet
Guilherme Ravache

Guilherme Ravache é consultor digital. Jornalista com passagens pelas redações da Folha de S. Paulo, Revista Época e Editora Caras. Foi diretor de atendimento da Ideal H+K Strategies e gerente sênior de comunicação e marketing de relacionamento da Diageo.

Colunista do UOL

22/07/2021 04h00

Resumo da notícia

  • A aposta da Netflix é que depois de assistir a Stranger Things, você também irá querer jogar Stranger Things
  • O crescimento da empresa desacelerou no primeiro semestre. Nos Estados Unidos e Canadá, seus principais mercados, perdeu 430 mil assinantes
  • A Netflix aponta a diminuição do número de suas produções em 2020, por causa da pandemia, como motivo da queda de novos assinantes
  • A empresa de pesquisas Parrot afirma que o crescimento de concorrentes no streaming, como o Disney+, afeta os resultados da Netflix
  • A aposta em games faz sentido, mas a Disney está adiantada no setor, com diversos títulos de sucesso de suas franquias já lançados
  • Por hora, a Disney não oferece jogos em sua plataforma Disney+, mas deve seguir os passos da Netflix, acirrando a concorrência

Nesta terça-feira, a Netflix anunciou seus resultados e confirmou que irá entrar no mercado de games. O crescimento do número de assinantes foi fraco, apontando para a desaceleração do mercado de streaming e decepcionando investidores, o que levou à queda das ações da empresa na bolsa.

A Netflix adicionou 1,5 milhão de novos assinantes no segundo trimestre, número um pouco melhor do que o previsto pela empresa, mas ainda assim, o menor nível de crescimento em quase uma década. A empresa afirmou que prevê adicionar 3,5 milhões de novos assinantes no terceiro trimestre - cerca de 29% menos do que analistas esperavam. Isso traria o número total de novos assinantes para cerca de 9 milhões nos primeiros nove meses de 2021. A Netflix adicionou mais de 28 milhões de assinantes pagantes no mesmo período do ano passado.

A empresa agora tem 209 milhões de assinantes, mas perdeu no período 430 mil assinantes nos Estados Unidos e no Canadá, sua região mais lucrativa. Atualmente, ela possui 73,9 milhões de assinantes nestes mercados, sendo cerca de 66 milhões nos Estados Unidos.

Em uma carta aos acionistas, a Netflix disse que "os atrasos na produção relacionados à Covid em 2020 levaram a um primeiro semestre de 2021 mais leve". A empresa chegou a ter uma queda de 6% na bolsa após o anúncio dos resultados. No dia seguinte ao anúncio, a Netflix caiu 3,28% na Nasdaq, enquanto o índice subiu 0,92% no dia. No primeiro trimestre deste ano, a Netflix já havia anunciado números decepcionantes.

Disney+ rouba espaço da Netflix

Diferentemente de seus concorrentes como WarnerMedia, ViacomCBS e NBCUniversal, a Netflix afirma não ter planos de fusões ou aquisições, apesar de não descartar a possibilidade. A aposta seguirá sendo em suas próprias produções e crescimento orgânico. Em maio, a Discovery anunciou que se fundiria à WarnerMedia, da AT&T, criando a segunda maior gigante da mídia, atrás da Disney e à frente da Netflix. Menos de duas semanas depois, a Amazon anunciou que compraria a MGM, que tem franquias como James Bond e RoboCop, por US$ 8,45 bilhões. O preço é avaliado como caro por muitos especialistas. ViacomCBS e NBCUniversal estariam em negociação para criar uma parceria fora do mercado americano.

A Netflix parece sentir o peso da entrada de novos concorrentes, particularmente a Disney+. A participação da Netflix no interesse de demanda mundial de streaming, neste segundo trimestre do ano, caiu abaixo de 50% pela primeira vez. O interesse de demanda é uma medida criada pela empresa de pesquisas Parrot e que aponta a popularidade das atrações de streaming.

Líder global de streaming, a Netflix mantém grande vantagem em número de assinantes e também na participação de interesse no ranking da Parrot em relação aos concorrentes, mas a margem está caindo. A medida de interesse pelos programas é fundamental no streaming, já que as novas produções de sucesso são as maiores responsáveis por atrair novos assinantes nas plataformas.

A "falta de programação original com novos sucessos da empresa e o aumento da concorrência de outros streamers vai acabar tendo um impacto negativo no crescimento e retenção de assinantes", afirmou a Parrot em um comunicado à imprensa antes de a Netflix anunciar seus resultados.

A Disney+ superou 100 milhões de novos usuários em 16 meses e séries como "The Mandalorian" têm sido bem recebidas pelo público e pela crítica (a produção baseada na franquia Star Wars foi uma das líderes de indicações ao Emmy, concorrendo em 24 categorias, mesmo número de indicações de "The Crown", da Netflix).

A melhor defesa é o ataque

Com a concorrência no segmento de streaming crescendo e a desaceleração de novos assinantes, a saída para a Netflix é buscar novas razões para manter seu público fiel e atrair novos usuários. No mesmo dia em que anunciou os resultados, a Netflix confirmou que irá entrar no segmento de games. A empresa não especificou uma data, mas as previsões do mercado são para que isso aconteça em 2022. Em junho, a plataforma já havia anunciado novos negócios, como uma loja com produtos de suas séries, para diversificar sua receita.

A lógica da Netflix é que se você assiste a Stranger Things, também jogará games relacionados às suas franquias de sucesso e comprará outros produtos. Como a empresa possui um grande volume de dados dos usuários, em tese seria mais fácil identificar a preferência do público.

Segundo a companhia, os jogos serão agrupados gratuitamente no aplicativo principal da Netflix e, por enquanto, serão feitos principalmente para serem jogados em dispositivos móveis, embora possam eventualmente migrar para TVs.

A empresa disse que alguns de seus jogos estarão ligados de algum modo a franquias de propriedade da Netflix. Os executivos dizem que você pode imaginar um jogo de "Stranger Things", embora provavelmente não lancem um game de uma série como "Sex/Life". A empresa não descarta licenciar suas marcas para outros desenvolvedores. Também avalia licenciar jogos e marcas existentes de outros desenvolvedores.

"Achamos que é o momento certo para aprender mais sobre como nossos membros valorizam os jogos", disse Greg Peters, diretor de operações da empresa. "Esta é uma parte essencial de nossa oferta de assinatura", completou.

A empresa afirma que o principal valor de seus jogos será manter os assinantes existentes mais engajados no aplicativo da Netflix e, portanto, menos propensos a cancelar a assinatura. Os jogos também poderiam, em teoria, ajudar a impulsionar novas assinaturas.

Disney leva vantagem em games

Vale notar que a Disney, apesar de ainda não oferecer games no Disney+, tem um crescente número de sucessos nesse segmento nos últimos anos, principalmente nos últimos 12 meses. Foram lançados "O Homem-Aranha", da Marvel, e seu sucessor em 2020, "Miles Morales", aclamados pela crítica, assim como "Star Wars Jedi: Fallen Order". Agora, a Machine Games está criando um novo jogo de "Indiana Jones", a Zynga trabalha em "Star Wars Hunters" (primeiro projeto de console da empresa de games mobile). A EA também perdeu a exclusividade da franquia Star Wars, abrindo caminho para a Massive Entertainment, da Ubisoft, lançar um novo jogo da saga.

Na feira de games E3 em junho passado, houve o lançamento de "Avatar: Frontiers of Pandora", esperada adaptação da famosa franquia de James Cameron pela Massive Entertainment. A maior surpresa do estande da Xbox foi a colaboração dos "Piratas do Caribe", do Capitão Jack Sparrow, com o jogo "Sea of Thieves". E quase metade do Square Enix Presents foi dedicado ao jogo "Guardiões da Galáxia", uma das revelações mais comentadas. E a Respawn discretamente trouxe "Star Wars Jedi: Fallen Order" para o PlayStation 5 e Xbox Series X | S.

Em 2018, a Netflix lançou conteúdos interativos em sua plataforma como "Minecraft Story Mode" e "Black Mirror: Bandersnatch". Fora da plataforma, a empresa co-produziu jogos como "Stranger Things 3: The Game" e "The Dark Crystal: Age of Resistance Tactics," lançados em 2019.

Agora, o esforço da Netflix é passar essa fase difícil de pouco crescimento e começar um novo jogo. Mas os adversários já estão prontos para o combate.

Siga a coluna no Twitter, Facebook e Instagram.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL