PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Fefito

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Afinal, ex-BBB é artista?

Juliette durante um de seus shows lotados - Reprodução / Internet
Juliette durante um de seus shows lotados Imagem: Reprodução / Internet
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

17/05/2022 12h58

Desde que entrou no ar, em 2002, o "Big Brother Brasil" mobiliza o país ao longo de três meses. Uma vez terminada a temporada, seus participantes são colocados em um mesmo dilema: tentar seguir carreira artística, uma vez que estavam na televisão, ou retomar a vida de antes? As primeiras levas de ex-BBBs encontraram prolongamentos da notoriedade fazendo presenças vips em micaretas e boates ou posando para revistas como "Playboy", "Sexy" e "G Magazine". Nos bastidores, no entanto, contavam com a antipatia dos famosos "de verdade": atores, apresentadores, cantores. Afinal, o que teriam feito eles além de passarem três meses vigiados para se equipararem ao nível de fama?

Com o advento das redes sociais e ampliação do mercado publicitário para o marketing de influência, a situação mudou drasticamente. Ex-BBBs viraram forças importantes para a publicidade, mobilizando milhões de pessoas com suas publicações. E, na internet, ficaram bem mais famosos que figuras conhecidas das telenovelas. Na última segunda-feira (17), Samantha Schmütz provocou polêmica ao questionar se Juliette era artista. A campeã do "BBB 21" tem seguido uma bem-sucedida carreira de cantora. O questionamento pareceu antiquado, mas despertou, de novo, uma discussão acalorada nas redes, como se tivéssemos voltado no tempo.

Não há porque, então, não tentar chegar a uma resposta sobre essa pergunta: Afinal, ex-BBBs são artistas? A solução é sim e não. Já no "BBB 1", havia figuras com carreiras artísticas: André Gabeh, terceiro colocado, era cantor, chegou a se apresentar no "Planeta Xuxa", dava aulas de música. Helena Louro, quinta eliminada, era atriz e lia sobre Shakespeare na sala do programa. Vanessa Pascale, vice-campeã, também era atriz e chegou a fazer novelas na Globo em seguida. André e Vanessa não deixaram de ser artistas por entrarem na casa mais vigiada do país. E assim foi com várias figuras, em edições distintas. Muitos artistas, pouco reconhecidos nacionalmente, buscaram a notoriedade no reality show.

Muitos ex-BBBs que não eram artistas, também tentaram carreiras no mundo artístico. Grazi Massafera, Juliana Alves e Sabrina Sato, por exemplo, viraram grandes estrelas à base de muito esforço e dedicação. De edições mais recentes, Thelminha e Ana Clara tornaram-se apresentadoras reconhecidamente muito competentes. Alguém pode dizer, hoje, que elas não são artistas?

Talvez o caminho para encontrar uma resposta para essa questão seja distinguir o que é fama do que é arte. Ser famoso não necessariamente torna alguém artista. E o conceito de notoriedade é bem amplo, podendo ser usado em vários meios. Criminosos, políticos, pessoas que viram meme sem querer, influenciadores e, sim, artistas, todos têm certa fama. Mas a celebrização não necessariamente abre caminhos por meio da arte e também cria distorções: há produtores de elenco que hoje buscam atores pela quantidade de seguidores e não pelo talento, o que é absurdo.

O que se vê nos últimos tempos é um entendimento por parte de vários ex-BBBs de que, uma vez famosos, querendo investir na carreira, precisam estudar. E não há lei que proíba quem participou de um reality de tentar a sorte no mundo da arte. O fato de ter o caminho facilitado por um programa de TV não deveria contar contra. Do contrário, shows de calouros não deveriam existir desde o começo. Antes mesmo do advento do formato, atrizes consagradas como Adriana Esteves e Flávia Alessandra conseguiram papéis em concursos no "Domingão do Faustão". Ninguém pode criticá-las por isso.

Para completar, não são poucos os artistas que fazem o caminho inverso e buscam ampliar a fama e a influência no "BBB". As três últimas edições, repletas de cantores e atores, provam isso. Classificar a arte de alguém por causa de um programa de TV é cafona, é antigo. Nem todo ex-BBB é artista, muitos voltam para a vida que levavam. Mas todo ex-BBB que se propõe a ser artista com estudo e dedicação precisa ter seu direito assegurado.