PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Fefito

'BBB 21': Viih Tube já teve briga na justiça com Luccas e Felipe Neto

Viih Tube está confinada no "BBB 21"  - Divulgação
Viih Tube está confinada no "BBB 21" Imagem: Divulgação
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

20/01/2021 12h33

A devassa na vida dos participantes tem chamado atenção para os comportamentos de Viih Tube antes da fama. A influenciadora que já teve trazido à tona um vídeo no qual cospe na boca de um gato, já processou o YouTuber Lucas Neto. Em 2016, o humorista publicou um vídeo em sua rede com o título "Um Recado Para Viih Tube e seus fãs - Hater Sincero".

Segundo o edital de intimação de advogados, o vídeo utilizava "palavras de baixo calão e imagens e frases de conteúdo pornográficos e pejorativos, maculando, assim, a imagem da autora". Na ação, Viih Tube pediu a exclusão do vídeo das buscas do Google e uma indenização de R$ 50 mil, "além de todo o valor recebido que o réu vier a receber com as visualizações do vídeo em questão".

Segundo o processo, Luccas afirmou que o pai da YouTuber a proibiu de namorar depois que seu namorado teria postado imagens sensuais com ela no Snapchat, criticou a maneira como ela foi criada e afirmou que ela não era uma influência para os jovens na época.

Em 2018, a justiça condenou Luccas Neto a pagar R$ 40 mil por danos morais.

Irmão de Luccas, Felipe Neto também foi processado, mas pelos pais da agora participante do "BBB". No ano passado, a justiça o inocentou na ação movida por Viviane Mara Felício, mãe de Viih Tube. Ela requeria R$ 40 mil e desculpas públicas por ele ter afirmado afirmou nas redes sociais que os pais exploravam a influenciadora, visando somente o lucro, que maltratavam produtores e que mantinham relacionamentos sexual com executivos do mundo da publicidade. Cabe recurso na decisão.

Já em 2017, Felipe foi condenado a pagar R$ 10 mil a Fabiano Macedo, pai da atriz pelas mesmas razões. Também coube recurso.