PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Fefito

Após denúncias contra Melhem, Globo fez bem em cancelar o 'Fora de Hora'

Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

04/12/2020 11h00

Resumo da notícia

  • Atração teria uma segunda temporada, mas acabou abreviada após a saída de Marcius Melhem
  • Programa foi inicialmente pensado por Dani Calabresa, que acabou se afastando do projeto
  • Não seria justo com o elenco mantê-los envolvidos em um projeto ligado a alguém acusado de assédio sexual e moral

Uma das boas novidades deste ano, o "Fora de Hora" teria segunda temporada em 2021, mas, estranhamente, teve a duração abreviada após a saída de Marcius Melhem da Globo.

Segundo reportagem da revista "Piauí" assinada por João Batista Jr., o programa nasceu de uma proposta de Dani Calabresa, que pretendia ressuscitar o antigo "Furo MTV". Ao ouvir do então diretor do departamento de humor que ela não teria a companhia de Bento Ribeiro, com quem dividia o projeto, a atriz decidiu não seguir envolvida com a produção.

Na época, foram chamados Paulo Vieira e Renata Gaspar para o comando da atração. A atriz, aliás, deixou o papel de protagonista da novela das seis "Nos Tempos do Imperador", para a qual estava escalada, para se dedicar ao humorístico.

Dado o teor das denúncias com Melhem e passados alguns meses do cancelamento do programa, é seguro dizer que a Globo fez bem não dar continuidade ao "Fora de Hora".

Em respeito ao talentoso elenco, que contava ainda com nomes como Júlia Rabello e Luciana Paes, a emissora não poderia seguir com um projeto criado em um ambiente de assédio sexual e moral. Eles não precisam ter seus nomes atrelados ao de alguém acusado de algo tão grave. E mais: seria confirmar uma injustiça manter no ar uma produção tirada de quem a concebeu.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL