PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Fefito

Claudete Troiano, sobre volta ao ar: 'Não achei que fosse mais fazer isso'

Claudete Troiano terá um programa de 1h15, o mais curto de sua carreira, na RedeTV! - Divulgação/RedeTV!
Claudete Troiano terá um programa de 1h15, o mais curto de sua carreira, na RedeTV! Imagem: Divulgação/RedeTV!
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

02/10/2020 10h36

Resumo da notícia

  • Apresentadora estreia nesta segunda-feira, na RedeTV!, o matinal "Vou Te Contar"
  • Claudete acompanha a evolução dos programas de culinária, mas diz não gostar do "MasterChef': 'Não me agrada'
  • Na emissora, ela nega que ainda tenha qualquer problema com João Kléber, com que já teve conflitos

Com estreia confirmada para esta segunda-feira (5), na RedeTV!, Claudete Troiano tem alguns desafios pela frente. Além de brigar pela audiência na disputada faixa da manhã, a apresentadora terá de fazer o programa mais curto de sua carreira. "Vou Te Contar" terá 1h15 de duração - e dez ações de merchandising por dia. O matinal usará o mesmo espaço onde Edu Guedes gravava seu antigo projeto. "Tem um clima bom que Edu deixou. Estou me sentindo na casa do amigo, só que reformada", brinca.

Na atração, Claudete contará com dois chefe fixos - Júlio Cruz e Roberto Augusto -, que se revezarão semanalmente. Também terá a participação de Lígia Mendes, que, com o fim do "Tricotando", fará intervenções sobre o mundo das celebridades na atração. Márcia Sensitiva também estará na equipe, com suas previsões. Na correria entre os preparativos para o programa, ela bateu um rápido papo com a coluna. É a primeira entrevista da apresentadora na nova emissora. Leia a seguir.

Já gravou os pilotos do programa?
Vou gravar no final de semana! Vai ser uma estreia com emoção. O cenário já está nos finalmentes, mas ainda tem umas coisas para acertar de área externa. E clima bom que Edu Guedes deixou, me sentindo na casa do amigo, só que reformada. Eu estou gostando muito da RedeTV!. Eu nunca trabalhei na emissora, mas conheço muita gente e estou conhecendo gente nova. Vai dar para ser feliz aqui.

Como chegou em "Vou Te Contar" para o nome do programa?
A escolha não foi minha. Colocamos alguns títulos como possibilidade, mas os que eu gostei mais já tinham registro. Fiquei um pouco preocupada, mas depois me toquei que é o que a gente faz.

A gente conta histórias de vida, conta como se faz um prato de comida.

Por que procurar a RedeTV! para esse projeto?
Não procurei nenhuma emissora quando saí da TV Aparecida. Eu estava em casa, de boa, e fui procurada pela Ultrafarma, que queria fazer um projeto comigo, e ela escolheu a RedeTV!.

Ainda dá para fazer algo diferente em programas de culinária?
Eu estou há muitos anos fazendo culinária. Já criei, já inventei, acho que não tem receita que eu não tenha feito. Até se você disser para fazer culinária de ponta a cabeça, eu já fiz. Já fiz de tudo: arneiro enterrado, peixe na areia, peru numa lata. Já vi de tudo em culinária. Hoje, minha preocupação é ninguém jogar dinheiro fora. O grande diferencial é que faço comida para a família, aqui vai ter comidão. Fiz a opção por ter dois chefs fixos que já conheço. Quando você tem uma parte de culinária bacana é até melhor do que ficar testando pessoas e receitas. Ninguém tem dinheiro para jogar fora. Essa foi uma escolha.

Já provou muita comida ruim nesses anos de carreira?
Eu até provei algumas coisas sem sal, por exemplo. Depois de algum tempo resolvi que só provo se estiver com vontade. Não dou uma de falsa e fingida e digo "Que gostoso!". A única coisa de que não gosto é siri.

Você está acostumada a ocupar manhãs inteiras. Está preocupada com a duração do programa?
Estou muito preocupada. O que mais me preocupa é o tempo do programa. O menor que eu fiz tinha mais de duas horas. Vai ser um novo desafio. Vou fazer algo. Imagina, 1h15 com dez merchans! (risos)

Em tempos de redes sociais, fica preocupada com as críticas?
Isso não me preocupa. Procuro fazer um bom trabalho. Estamos aqui para fazer o melhor. Nem Jesus Cristo agradou a todos.

É quase impossível ficar imune às críticas nos tempos de hoje.

Você assiste ao "MasterChef"?
Não assisto e não gosto. O formato não me agrada. Nunca gostei. Acho que é pouco tempo para uma pessoa ser testada. Tem gente que trabalha anos e anos na vida e acontece de ter um dia ruim. Que dona de casa já não deixou a carne dura sem querer?

No "MasterChef", por causa de uma coisinha a pessoa é eliminada e por uma vida inteira fica marcada por isso.

Você está na mesma emissora de João Kléber, com que já teve problema no passado. Já cruzou com ele nos corredores?
Não encontrei, mas está tudo bem entre a gente. A gente se dá bem. Sempre gostei dele, como humorista, como convidado. Uma coisa pontual aconteceu e ficou no passado.

Os programas de culinária mudaram muito ao longo dos anos?
Mudaram, com certeza. Os programas femininos como um todo mudaram. A mulher mudou muito no decorrer dessas décadas, foi movimento da sociedade mesmo. O universo desse tipo de programa é muito grande, a gente tem de estar antenada com o que acontece. Por exemplo: se é tempo de crise, por que eu vou fazer lagosta? Meu olhar sempre foi voltado para o caminhar da sociedade. Muitos homens veem o programa também. Minha audiência na TV Aparecida era maior entre os homens que entre as mulheres. Não tinha quem eu não encontrasse que não viesse falar das receitas.

Teve medo de ficar fora do ar nesse tempo afastada da TV?
Vou ser o mais absolutamente sincera: não deu medo, mas achei que não fosse mais fazer isso. Já fiz tanta coisa. Só agradeci a Deus por tudo o que já tinha feito e já estava até pensando em fazer outras coisas. Mas aí me chamaram para fazer um catálogo de moda recentemente. De repente as coisas foram acontecendo. Para a minha surpresa, veio o programa. Fiquei me perguntando: "Que é que eu isso, Deus?". Achei que a essa altura eu iria fazer outras coisas da minha vida. Mas tem uma frase do Papa Francisco que diz: "Nunca perca a esperança e deixe a vida te surpreender". E é assim mesmo. A vida é cheia de surpresas.