PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Atores fazem protesto virtual contra Regina Duarte e perguntam: 'Cadê?'

A Secretária Especial da Cultura Regina Duarte  - Divulgação
A Secretária Especial da Cultura Regina Duarte Imagem: Divulgação
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

18/04/2020 13h19

Resumo da notícia

  • Com teatros fechados e produções audiovisuais suspensas, artistas criticam silêncio da secretária de cultura
  • Marcos Caruso cobrou da atriz uma nota de pesar pelas mortes de Rubem Fonseca, Garcia-Roza e Moraes Moreira
  • Em protesto virtual, atores, diretores e produtores perguntam: "Cadê você, Regina?"

Um grupo de atores, diretores e produtores iniciou uma campanha virtual cobrando providências de Regina Duarte durante a pandemia do coronavírus. Em vários vídeos publicados nas redes sociais, todos fazem a mesma pergunta: "Cadê você, Regina?".

O questionamento se junta a outro: quando o Fundo Nacional de Cultura será liberado? Para o grupo, a secretária de cultura do governo de Jair Bolsonaro não tem tomado nenhuma providência para ajudar a classe artística, uma vez que produções audiovisuais estão suspensas e teatros fechados.

Marcos Caruso, famoso por ter interpretado o Leleco, de "Avenida Brasil", vai além e critica a atriz por não ter emitido nota de pesar pelas mortes de Moraes Moreira, Luiz Alfredo Garcia-Roza e Rubem Fonseca nesta semana. "Seria o mínimo. Cultura também cultivar bons hábitos", afirma o ator.

O movimento de atores pedindo providências à secretária de cultura e intérprete da Viúva Porcina inclui nomes como Marcelo Várzea, Lavínia Pannunzio, Iara Jamra, Paula Cohen, Rubens Caribé, Renata Carvalho e Fernando Eiras. Veja abaixo alguns dos vídeos.

Cadê Regina?

Uma publicação compartilhada por Marcelo Varzea (@marcelovarzea) em

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL