PUBLICIDADE
Topo

Chico Barney

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Plano "vazado" de Boca Rosa mostra que influenciador digital não é bagunça

só para assinantes
Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002

Colunista do UOL

02/06/2022 13h48

Parte relevante da internet pareceu chocada ao ver nos stories de Bianca Andrade, a fundamental Boca Rosa, a tela de uma apresentação que resumia seu comportamento diário no Instagram.

O chamado planejamento de conteúdo é uma prática necessária a qualquer empreendimento profissional ligado a esse universo. Funciona para marcas, funciona para canais e portais de notícia, e evidentemente que também funciona para influenciadores digitais.

A previsibilidade do que será publicado é importante tanto para a organização dos responsáveis quanto para a fidelização da audiência. E quanto mais ciência estiver envolvida, certamente melhores serão os resultados.

Essa recorrência permite que a análise dos dados seja mais acurada, trazendo aprendizados importantes para o constante desenvolvimento daquela rede. Com quase 18 milhões de seguidores e dona de uma bem-sucedida marca, nada é por acaso com Bianca Andrade. Tampouco com a maioria dos influenciadores de sucesso, independentemente da área de atuação.

Na imagem compartilhada por Andrade, identificamos melhor quais editorias norteiam sua produção. E não tem absolutamente nada de escandaloso nisso —estranho seria confiar apenas no carisma para faturar seus trocados.

Um ponto que causou mais rebuliço foi a inclusão de uma linha citando o filho pequeno da ex-BBB. Nesse mundo pós-kardashiano em que vivemos, como isso pode causar qualquer tipo de assombro?

As pessoas sempre tiveram um profundo interesse em saber da vida privada das celebridades. A grande diferença é que hoje quem tem o maior controle a respeito do quanto e do como mostrar são os próprios famosos.

Uma evolução que permite inclusive um consumo mais saudável desse tipo de assunto, pelo menos quando existe uma estrutura profissional o suficiente para definir conscientemente os próprios limites.

Como a própria Boca Rosa escreveu em uma das postagens a respeito da reação popular ao slide do PowerPoint, "isso não é ser artificial, é ser intencional". Quando você é o seu próprio veículo, nada mais importante do que saber para onde está indo.

Voltamos no dia 20 deste mês com novas informações, após merecidas férias do colunista.