PUBLICIDADE
Topo

Chico Barney

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Pantanal: Será que estamos sendo justos com Guta Regatinha?

Guta Regatinha (Julia Dalavia) em Pantanal  - Divulgação
Guta Regatinha (Julia Dalavia) em Pantanal Imagem: Divulgação
só para assinantes
Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002

Colunista do UOL

02/06/2022 04h00

Desde que começou a aparecer em Pantanal, a personagem Guta Regatinha sofre severas críticas por variados setores da sociedade. Recebe apelidos pouco alvissareiros, como 'militante de araque' e 'tuiteira'.

Defendida com talento e carisma pela atriz Julia Dalavia, a jovem fascina justamente pelas suas inconsistências. Repetindo chavões, cobra atitudes melhores do seu entorno social, ao mesmo tempo em que vacila com uma habilidade incomum, seja por brincar com os sentimentos dos outros ou por ser uma completa desocupada.

Mas será que estamos sendo justos com Guta Regatinha? Ela parece querer viver em mundo melhor, mas ainda não ostenta as ferramentas necessárias para fazer com que as mudanças aconteçam.

E o fato de ter sido criada por um pai como Tenório e uma mãe como Maria Bruaca faz com que seu interesse em um horizonte mais cheio de possibilidades seja quase um milagre.

O que mais gosto é de vê-la tentando interagir com ambos. A intenção parece ótima, mas no final das contas parece aquela cena do Pica-Pau em que um casal está se agredindo com uma panela, e o pássaro colabora passando o apetrecho culinário de um para o outro.

Guta Regatinha é uma personagem extraordinária, que comove e encanta na mesma frequência que irrita e traz desalento —exatamente como as melhores criações da dramaturgia mundial. Merece nosso respeito!

Voltamos a qualquer momento com novas informações.