PUBLICIDADE
Topo

Chico Barney

Quem transa mais? Sexo é começo, meio e fim em realities da TV e streaming

Quatro casais transaram na primeira noite do reality "Túnel do Amor", do Multishow - Reprodução/Multishow
Quatro casais transaram na primeira noite do reality "Túnel do Amor", do Multishow Imagem: Reprodução/Multishow
Conteúdo exclusivo para assinantes
Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002

Colunista do UOL

29/04/2022 04h00

Desde os tempos mais primórdios, sexo é um elemento fundamental para o interesse geral em reality shows. Aquela história de "espiar pela fechadura" foi importante para a implementação do gênero desde sua origem.

O polêmico "Real World" da MTV dos anos 90 ainda tinha uma pegada documental, mas investia alto nas intimidades de seus participantes. Quando o confinamento virou moda, todo mundo queria saber o que acontecia debaixo dos edredons de Curicica e Itu.

Como a ocasião faz o ladrão, com o tempo as produtoras passaram a testar os limites do 'family friendly' em programas que pudessem expor com mais objetividade os delírios da carne. O sucesso do De Férias com o Ex, também da MTV, deu origem a uma onda avassaladora.

A sua plataforma de streaming favorita está devendo se ainda não tiver no cardápio um reality show reunindo jovens sarados com os hormônios em ebulição participando de alguma dinâmica cujo começo, meio ou fim passa pelo sexo.

"Se sexo é o que importa, só o rock é sobre amor", vaticinavam os gaúchos da banda Bidê ou Balde. Bom, a rapaziada tem preferido outros ritmos.

No Prime Video, "Soltos em Floripa" explora as possibilidades de um elenco recorrente vivendo a distopia da paixão na ilha da magia. E a Netflix oferece vasta variedade: "Brincando com o Fogo", "Casamento às Cegas" e "Ultimato: Casa ou Vaza" mostram que reality show é uma boa alternativa ao Tinder.

Nesta seara, ainda faltava um produto moderno para o Globoplay. A estreia de Túnel do Amor, apresentado por Marcos Mion, preenche a demanda com louvor, distraindo com muitas regras o afã romântico de seus participantes.

Dada a curiosidade a respeito do que acontece quando as emoções tomam conta da vida alheia, a pergunta que fica é a respeito de quantos formatos serão criados para justificar ver os outros transando. Algo me diz que ainda estamos nas preliminares.

Voltamos a qualquer momento.