PUBLICIDADE
Topo

Chico Barney

A Fazenda: Roteiro de Adriane Galisteu parece escrito para Marcos Mion

Marcos Mion e Adriane Galisteu (Reprodução/Globo/Record TV) - Reprodução / Internet
Marcos Mion e Adriane Galisteu (Reprodução/Globo/Record TV) Imagem: Reprodução / Internet
Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002

Colunista do UOL

16/09/2021 00h30

Quando era apresentada por Britto Jr e, posteriormente, por Roberto Justus, A Fazenda sofria com uma certa falta de personalidade. Na maior parte do tempo, o texto era genérico, regulamentar, sem muita nuance.

Na troca de guarda na condução do programa, mesmo sendo duas figuras com características tão diferentes, a impressão é que não havia qualquer alteração de rota no que aparecia no teleprompter.

Já Marcos Mion, no decorrer das suas três temporadas à frente do reality, foi incluindo elementos de seu universo de referências. A estrutura básica e a concatenação dos eventos não foi alterada, mas ele conseguiu encaixar aquelas mensagens em seu tom de voz.

Alguns desses cacoetes se mantiveram no começo da gestão de Adriane Galisteu. Em certos momentos, chega a parecer que ela está interpretando um texto que foi pensado para seu antecessor.

E isso ocorre justamente nos detalhes que deveriam ajudar nos devidos rumos criativos para a narrativa. Símbolos salpicados ao longo do texto, dando um senso de unidade e forjando a personalidade do condutor —e consequentemente da Fazenda como um todo.

Não sei se é caso pensado e a Record pretende tomar para si uma parte do vocabulário de Marcos Mion como legado do próprio formato. Além de não fazer muito sentido, não existe a necessidade: Adriane Galisteu tem plenas condições de enriquecer ainda mais o fascinante folclore de A Fazenda.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.