PUBLICIDADE
Topo

Chico Barney

Lembra dele? No Limite chega ao fim sem chamar atenção

A única vez que André Marques sorriu durante o No Limite - Reprodução/Instagram
A única vez que André Marques sorriu durante o No Limite Imagem: Reprodução/Instagram
Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002

Colunista do UOL

20/07/2021 14h57

Lembra dele? Na noite desta terça-feira, chega ao fim a quinta temporada do No Limite, reality show de sobrevivência da Globo. Renascido após 12 anos, foi a aposta da emissora para o período imediatamente posterior ao sucesso do BBB 21.

Para entrar no clima, aproveitando a boa repercussão do confinamento em Curicica, o elenco foi formado apenas por ex-BBBs. A expectativa era reviver conflitos e comover as torcidas de figuras como Gleici, Kaysar e Paula.

Não deu muito certo. O programa passou longe de causar o chamado burburinho nas redes sociais. Levantei algumas hipóteses para explicar o insucesso da nova experiência.

Apresentador desanimado - André Marques não conseguiu imprimir ritmo, tampouco elaborar maiores emoções na condução das tramas. Desanimado, parecia apenas cumprir tabela, sem muito interesse em criar uma marca ou estabelecer uma conexão com o público.

Conteúdo frio - Tudo foi gravado com muita antecedência, justamente no momento em que o público está mais acostumado ao tempo real. Além disso, os votos internos não permitiram que as torcidas se mobilizassem de fato.

Pouco foco nas intrigas - Claro que é divertido ver Carol Peixinho, Zulu e amigos comendo barata viva e olho de cabra, mas a gente gosta de reality show por causa das fofocas. Parece que houve pouco espaço para desenvolver os personagens e estabelecer direito seus conflitos.

Provas bobinhas - Viajaram até uma praia para cumprir desafios que poderiam facilmente ser executados no pátio da escola aqui da minha rua. Não entendi muito bem o conceito, esperava uma situação mais radical.

De qualquer forma, valeu a intenção. Continuo acreditando que o No Limite merece um espaço na grade da Globo, bastando apenas realizar uns 12 ou 13 ajustes de ordem estrutural.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.