PUBLICIDADE
Topo

Arte Fora do Museu

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

A máquina de pintar murais

Conteúdo exclusivo para assinantes
Andre Deak / Felipe Lavignatti Felipe Lavignatti

O projeto Arte Fora do Museu nasceu em 2011 com os pesquisadores e jornalistas Andre Deak e Felipe Lavignatti, como um levantamento de obras de arte nas ruas da cidade de São Paulo. Hoje em mais de 500 cidades do mundo, milhares de obras e centenas de artistas, é um guia de arte urbana que inclui arquitetura, escultura, graffiti e mural. Andre Deak e Felipe Lavignatti são também sócios na produtora Liquid Media Lab, com projetos de comunicação digital, arte e diversos trabalhos no campo da inovação.

Felipe Lavignatti

Colunista do UOL

24/08/2021 09h47

Resumo da notícia

  • Impressões verticais podem ser úteis para artistas que trabalhem com murais
  • Precisão no desenho e tempo são as vantagens das máquinas

Há algum tempo escrevemos aqui nessa coluna sobre um robô italiano que esculpe com tanta precisão que estava fazendo muitos escultores recorrerem à tecnologia para em acabar uma obra (ou mesmo fazer uma do zero e levar o crédito). Mas não são só os escultores que contam com uma ajuda robótica. O uso de impressoras verticais permite que muralistas agilizem e tornem mais complexos seus trabalhos.

Talvez a mais desenvolvida das empresas a oferecer esse serviço seja a alemã wallPen, com forte atuação na Europa e EUA. Tudo começou em 2015, quando os sócios resolveram importar uma máquina chinesa para entrar no mercado de impressões. A ideia inicial sempre foi imprimir em paredes, mas logo na primeira tentativa a máquina queimou. Isso não impediu que comprassem uma segunda máquina, que mal funcionou. Após um prejuízo de mais de 40 mil euros, a solução foi criar uma eles mesmos. No ano seguinte a wallPen já operava com máquinas precisas feitas totalmente na Alemanha.

A vantagem da máquina para o trabalho do artista está na rapidez e na adaptação a praticamente qualquer superfície. Nesse exemplo abaixo, vemos a reprodução em uma parede de madeira de uma obra da Capela Sistina de Michelângelo. Desenho, foto ou letra, a máquina vai imprimir com qualidade seja em um espaço liso ou irregular.

A criação de Adão feita pela máquina - Divulgação - Divulgação
A criação de Adão feita pela máquina
Imagem: Divulgação

Um muralista leva horas para tirar do papel seu desenho e reproduzir em uma escala maior em uma parede. O carro chefe da wallPen pode fazer isso em minutos e sem necessidade de correções - afinal ela vai imprimir exatamente a imagem que você enviar. O grande público da empresa acaba sendo o ramo de decoração de interiores, mas o uso não se limita somente a isso.

No fim, é mais um exemplo da tecnologia que pode ser útil para o trabalho de um artista. Um desenho feito em uma tela parte da mão e da mente humana para uma impressora realizar sua ampliação e registro em outra plataforma. Nasce assim um mural com ajuda de uma máquina, mas com a digital do artista em cada jato de impressão.