PUBLICIDADE
Topo

Arte Fora do Museu

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Os monumentos a colonizadores em São Paulo

Conteúdo exclusivo para assinantes
Andre Deak / Felipe Lavignatti Felipe Lavignatti

O projeto Arte Fora do Museu nasceu em 2011 com os pesquisadores e jornalistas Andre Deak e Felipe Lavignatti, como um levantamento de obras de arte nas ruas da cidade de São Paulo. Hoje em mais de 500 cidades do mundo, milhares de obras e centenas de artistas, é um guia de arte urbana que inclui arquitetura, escultura, graffiti e mural. Andre Deak e Felipe Lavignatti são também sócios na produtora Liquid Media Lab, com projetos de comunicação digital, arte e diversos trabalhos no campo da inovação.

Felipe Lavignatti

Colunista do UOL

25/07/2021 12h59Atualizada em 26/07/2021 16h58

Em um dia de protestos pelo Brasil inteiro contra o governo Bolsonaro, uma imagem se sobressaiu: a da estátua de um bandeirante pegando fogo. Na tarde de ontem, o Borba Gato na zona sul de São Paulo foi visto em chamas por alguns minutos, até que os bombeiros foram acionados. Há anos o monumento é alvo de críticas, seja por sua estética ou pela figura e tudo que ela representa. Com o movimento Black Lives Matter, algumas estátuas de escravocratas e colonizadores pelo mundo começaram a ser removidas. O que aconteceu ontem pode ser o começo de algo parecido no Brasil.

E Borba Gato não está sozinho nessa lista. Listamos alguns monumentos em São Paulo que homenageiam figuras e histórias marcadas por exploração e morte.

Monumento às Bandeiras
Parque do Ibirapuera

Monumento às Bandeiras - Divulgação - Divulgação
O Monumento às Bandeiras, de Victor Brecheret, está localizado no Parque Ibirapuera, em São Paulo, e representa os bandeirantes que desbravaram o país no período colonial. Pode-se observar portugueses, negros, mamelucos e índios puxando uma canoa de monções. Foi inaugurada durante as comemorações do 4º Centenário da cidade de São Paulo, em 1953
Imagem: Divulgação

O monumento tem sido alvo de críticas controversas sobre sua existência como um símbolo escravagista e de massacre ao povo indígena durante o período colonial

Monumento a Pedro Álvares Cabral
Avenida Pedro Álvares Cabral

A estátua de Pedro Álvares Cabral - Felipe Rau/Estadão Conteúdo - Felipe Rau/Estadão Conteúdo
Próxima ao Monumento às Bandeiras, a estátua de Pedro Álvares Cabral, também 'usou' uma máscara contra a covid-19
Imagem: Felipe Rau/Estadão Conteúdo

Mais uma obra no Parque Ibirapuera, o Monumento a Pedro Álvares Cabral retrata o principal personagem da invasão portuguesa ao Brasil, em 1500. A obra tem sido alvo de críticas por conta do sistemático genocídio que os povos indígenas sofreram - e ainda sofrem - desde a chegada dos portugueses ao território, até então habitado exclusivamente por eles.

Glória Imortal aos Fundadores de São Paulo
Praça Padre Manuel da Nóbrega

A escultura de quase 26 metros de altura - Ricardo Matsukawa/ UOL - Ricardo Matsukawa/ UOL
A escultura de quase 26 metros de altura
Imagem: Ricardo Matsukawa/ UOL

O monumento faz referência à fundação São Paulo, com a figura feminina, que representa a cidade, coroando seus fundadores. Na base da coluna, figuras em bronze representam indígenas em trabalho braçal, sob as ordens do Padre Afonso Braz.

Monumento a Anhanguera
Parque Trianon

Monumento ao Anhanguera, mais um a ser 'equipado' com uma máscara - Ettore Chiereguini/Estadão Conteúdo - Ettore Chiereguini/Estadão Conteúdo
Monumento ao Anhanguera, mais um a ser 'equipado' com uma máscara
Imagem: Ettore Chiereguini/Estadão Conteúdo

Em plena Avenida Paulista, em frente ao Parque Trianon, o monumento homenageia um dos primeiros bandeirantes a desbravar o interior do Brasil, Bartolomeu Bueno da Silva. Ele ficou conhecido como Anhanguera, nome pelo qual os índios goiá o chamavam, que significa "espírito do mal".

Monumento aos heróis da travessia do Atlântico
Av. João de Barros, 287

Em 1929, o monumento de bronze, feito pelo italiano Ottone Zorlini foi inaugurada - Ricardo Matsukawa/ UOL - Ricardo Matsukawa/ UOL
Em 1929, o monumento de bronze, feito pelo italiano Ottone Zorlini foi inaugurada
Imagem: Ricardo Matsukawa/ UOL

No pedestal do monumento, encontra-se uma coluna com capitel em estilo jônico, retirada de uma construção milenar do Monte Capitolino, em Roma, na Itália, e enviada a São Paulo pelo primeiro-ministro italiano na época, Benito Mussolini, em comemoração ao feito dos compatriotas. Carrega um "fascio" de cada lado, que é um feixe de varas utilizado por militares para representar a união e foi resgatado por Mussolini para simbolizar sua ideologia.

Monumento a Duque de Caxias
Praça Princesa Isabel - Campos Elíseos

A obra é uma homenagem ao patrono do exército brasileiro e é considerada como sendo a maior escultura equestre do mundo - Ricardo Matsukawa/ UOL - Ricardo Matsukawa/ UOL
A obra é uma homenagem ao patrono do exército brasileiro e é considerada como sendo a maior escultura equestre do mundo
Imagem: Ricardo Matsukawa/ UOL

Inaugurada 5 anos após sua morte, a estátua está localizada na Praça Princesa Isabel, na esquina das avenidas Duque de Caxias e Rio Branco, na região central de São Paulo, representando o controverso Duque de Caxias, que é visto por uns como herói da história do Brasil e patrono do exército brasileiro — único brasileiro a ser nomeado duque no reinado de D.Pedro II — mas também interpretado como um imperialista e escravocrata, responsável pelos 10 mil mortos na Balaiada, o Massacre de Porongos.

Obelisco do Piques
Consolação

Monumento mais antigo da cidade, erguido em 1814, se localizava em um mercado a céu aberto onde havia tráfico de escravos.

Confira essas obras no site Arte Fora do Museu

Mapa com a localização de algumas obras de Julio Guerra, autor do Borba Gato