PUBLICIDADE
Topo

Arte Fora do Museu

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Vaticano é processado por uso de arte urbana

Andre Deak / Felipe Lavignatti Felipe Lavignatti

O projeto Arte Fora do Museu nasceu em 2011 com os pesquisadores e jornalistas Andre Deak e Felipe Lavignatti, como um levantamento de obras de arte nas ruas da cidade de São Paulo. Hoje em mais de 500 cidades do mundo, milhares de obras e centenas de artistas, é um guia de arte urbana que inclui arquitetura, escultura, graffiti e mural. Andre Deak e Felipe Lavignatti são também sócios na produtora Liquid Media Lab, com projetos de comunicação digital, arte e diversos trabalhos no campo da inovação.

Felipe Lavignatti

Colunista do UOL

25/05/2021 14h43

O Vaticano além de ser o menor país do mundo e sede da Igreja Católica tem um dos maiores acervos de arte do mundo. Seu museu, em tempos sem pandemia, era o quinto museu mais visitado do mundo. Sua ligação com a arte vai até os tradicionais selos postais ilustrados com arte sacra. Para a Páscoa de 2020, o escritório de telecomunicações usou a imagem de Jesus Cristo de uma arte urbana para seus selos e agora a autora da ilustração está processando os responsáveis.

Alessia Babrow colou seu desenho de Cristo com a inscrição "Just Use It" no peito em uma parede nos arredores do Vaticano. O trabalho da artista é uma interpretação de Cristo em Ascenção de Heinrich Hofmann, pintor alemão do século 19. Esse desenho chamou atenção dos responsáveis pelos tradicionais selos que resolveram se inspirar na arte para seu lançamento de Páscoa.

Arte de rua no selo do Vaticano para a Páscoa - Reprodução - Reprodução
Arte de rua no selo do Vaticano para a Páscoa
Imagem: Reprodução

Colecionadores do mundo todo sempre aguardam esses lançamento, normalmente ilustrados com grandes artistas da história da arte - muitos, inclusive, presentes no próprio museu da cidade. Essa foi a primeira vez que eles usaram arte de rua nas suas ilustrações, mas não pediram autorização à sua autora. Babrow pede ? 130.000 e quando reclamou com o Vaticano recebeu como resposta apenas um convite para conhecer o Papa e alguns selos grátis.

A lei da propriedade intelectual protege o artista de rua na Itália, mesmo a obra tendo sido realizada em uma propriedade privada sem o consentimento do proprietário. Se Babrow ganhar o processo, o dono da parede onde seu trabalho foi colado pode pedir parte desse dinheiro.