PUBLICIDADE
Topo

Aline Ramos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Pantanal desafia os limites do spoiler para uma nova audiência

                                                     -                                 Globo/Divulgação
Imagem: Globo/Divulgação
só para assinantes
Aline Ramos

Aline Ramos é jornalista, mas tá mais pra palpiteira, por isso cria conteúdo na internet desde 2014. Você com certeza já fez algum teste dela no BuzzFeed, onde foi redatora por dois anos. É especialista em diversidade e dá consultoria para marcas em temas como raça e gênero. Mas o que ama mesmo é escrever sobre entretenimento e dar opinião sobre tudo, se bobear até sobre a sua vida.

Colunista do UOL

14/06/2022 04h00

Pantanal tem unido diferentes gerações com costumes e hábitos igualmente diferentes na frente da TV. Basicamente, existem dois tipos de pessoas acompanhando a trama: 1) quem já foi telespectador da versão de 1990 e assiste ao remake 2) quem mal sabia o que era a novela até esses dias e agora está vendo pela primeira vez.

Essa renovação de público é fundamental para a televisão. Pantanal conseguiu furar a bolha clássica dos noveleiros. O remake tem alcançado um público cada vez mais distante da TV aberta e próximo aos serviços de streaming. Porém, há um conflito cultural entre a nova e a velha audiência: os spoilers.

Choque de gerações

O público tradicional nunca se importou tanto em saber o que vai acontecer na trama. O foco sempre esteve na maneira como a história se desenrolava. Os spoilers são parte da cultura e do modo de fazer novela. Semanalmente, são divulgados os resumos dos capítulos. As chamadas nos intervalos comerciais adiantam o que está para acontecer. Não há mistério. Todo mundo já sabe que Levi vai morrer e que Irma vai engravidar de Trindade.

Quem é noveleiro das antigas também viveu o período em que revistas de fofoca estampavam na capa os spoilers mais cabeludos das novelas. As publicações estavam em todo canto e mantinham o interesse do público aceso. Elas podem não existir mais como antes, mas sua essência ganhou vida na internet.

Hoje, quem já assistiu à primeira versão de Pantanal costuma compartilhar o que já aconteceu na novela, dando vida aos spoilers. Porém, há quem não goste e até se ofenda ao se deparar com essas informações circulando. A nova geração, mais afastada da TV aberta, está acostumada com a cultura de filmes e séries, em que há um certo código de ética sobre o compartilhamento do que acontece em estreias recentes.

Batalha perdida

É impossível assistir novela como se fosse série e vice-versa. São formatos diferentes, com linguagens distintas e transmitidas em plataformas diferentes. Talvez essa seja uma batalha perdida para a nova audiência de Pantanal, que precisa se acostumar, já que nem em filmes e séries os spoilers são totalmente controlados.