PUBLICIDADE
Topo

Aline Ramos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Ao não aplicar regras, A Fazenda passa mensagem de que vale tudo

Dynho Alves foi acusado de agredir Rico Melquíades em A Fazenda 13 - Reprodução / Playplus
Dynho Alves foi acusado de agredir Rico Melquíades em A Fazenda 13 Imagem: Reprodução / Playplus
Conteúdo exclusivo para assinantes
Aline Ramos

Aline Ramos é jornalista, mas tá mais pra palpiteira, por isso cria conteúdo na internet desde 2014. Você com certeza já fez algum teste dela no BuzzFeed, onde foi redatora por dois anos. É especialista em diversidade e dá consultoria para marcas em temas como raça e gênero. Mas o que ama mesmo é escrever sobre entretenimento e dar opinião sobre tudo, se bobear até sobre a sua vida.

Colunista do UOL

09/10/2021 00h40

Não é apenas Rico Melquíades que tem adotado a estratégia de se calar para "vencer" em A Fazenda 13. A própria RecordTV fez isso na última sexta-feira (8).

Após a eliminação de Erika Schneider na quinta-feira (7), Rico causou uma confusão generalizada na casa ao jogar todo o café disponível no chão. Dynho Alves e Victor Pecoraro se irritaram com a situação e passaram do ponto. Ao que tudo indica, Dynho colocou o pé intencionalmente para Rico cair. Já Victor jogou uma garrafa na cara de Rico logo depois de despejar iogurte na cabeça do colega.

Todo mundo sabe, tanto o público quanto os peões, que uma das principais regras de A Fazenda é a que proíbe agressões aos colegas. Em outras edições, agressões pequenas marcaram o ponto final da trajetória de alguns participantes no programa. Esse foi o caso de Nadja Pessoa, que era uma das favoritas de A Fazenda 10, mas foi desclassificada ao chutar Caique Aguiar.

Porém, a certeza de que agressão gera expulsão em A Fazenda está ameaçada. Com razão, o público notou que as atitudes de Dynho e Victor poderiam ir contra as regras do programa e passou a cobrar a emissora para tomar uma atitude em relação a isso. Até agora, nenhuma resposta foi dada.

A assessoria de Rico chegou a publicar uma nota dizendo que a Record estava averiguando as imagens, mas a emissora não se manifestou. No programa da noite de sexta, o silêncio continuou. Foram exibidas as cenas da confusão, mas nenhum esclarecimento foi dado ao público.

O silêncio é uma resposta. E, nesse caso, não soa como apenas um posicionamento, mas como descaso. A Fazenda também é construída junto com o público. Quando o programa se cala em momentos delicados, não explica o que está acontecendo e qual a sua decisão de forma transparente, essa relação de confiança é quebrada.

Se chegaram à conclusão de que não houve agressão, por que não compartilhar isso com a audiência de A Fazenda? O silêncio, além de mostrar indiferença, pode indicar que o juiz do jogo talvez não esteja tão seguro das decisões tomadas. E isso é grave.

Mesmo que a intenção seja outra, essa flexibilização das regras passa o recado de que vale tudo em A Fazenda. Isso é ruim não só para os participantes, mas para quem acompanha o programa. Afinal, quem definirá o que é certo e errado lá dentro?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL