PUBLICIDADE
Topo

Aline Ramos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Doc de Juliette começa repetitivo, mas deixa gostinho de quero mais

Conteúdo exclusivo para assinantes
Aline Ramos

Aline Ramos é jornalista, mas tá mais pra palpiteira, por isso cria conteúdo na internet desde 2014. Você com certeza já fez algum teste dela no BuzzFeed, onde foi redatora por dois anos. É especialista em diversidade e dá consultoria para marcas em temas como raça e gênero. Mas o que ama mesmo é escrever sobre entretenimento e dar opinião sobre tudo, se bobear até sobre a sua vida.

Colunista do UOL

29/06/2021 23h23

Nesta terça-feira (29), o Globoplay disponibilizou o primeiro de seis episódios da série documental sobre Juliette Freire. Com o título "Você Nunca Esteve Sozinha", a produção promete contar as origens da campeã do BBB 21, explicar por que ela é um fenômeno, revelar bastidores da fama e anunciar alguns próximos passos dela.

O primeiro capítulo mostrou as origens da paraibana, com foco em sua infância e adolescência. Apesar da abundância de fotos que registram o período e dos relatos de familiares e amigos, esse começo foi repetitivo e apresentou poucas novidades sobre ela.

Juliette conseguiu contar muito bem a sua história durante o BBB 21. Essa foi, inclusive, uma de suas vantagens em relação aos adversários no jogo. No fim do programa, a advogada e maquiadora já era próxima de milhões de pessoas que sabiam quem era ela e quais eram os seus medos, objetivos e sonhos. Por isso, o episódio de estreia pareceu um pedágio para chegarmos aos momentos que realmente importam.

Talvez os maiores fãs não se incomodem com o formato ou com a repetição de histórias, mas isso torna exaustiva a missão de assistir ao documentário para quem simpatiza com Juliette, mas não a acompanha tão de perto e intensamente.

Mesmo com esse problema, o capítulo de estreia termina com um gostinho de quero mais. Apenas no final do episódio, a relação da ex-BBB com a falecida irmã começa a ser aprofundada. A morte de Julienne foi um tema que ficou em aberto, mas alguns detalhes revelados já começaram a mostrar por que o acontecimento foi impactante para Juliette e como isso a afetou e ainda afeta.

Ao assistir um documentário sobre uma personalidade como Juliette, a expectativa é conhecer ainda mais a pessoa, de forma subjetiva e objetiva, algo que Anitta fez recentemente em "Made in Honório". Para a campeã do BBB 21, essa é uma tarefa mais difícil, já que ela mostrou muito de si sendo vigiada por 100 dias durante o programa. Porém, sempre há mais a ser mostrado, e o teaser dos próximos episódios nos indica isso.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL