PUBLICIDADE
Topo

Aline Ramos

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Com Galisteu na Fazenda, Record consolida mulheres no comando de realities

Reprodução / Instagram
Imagem: Reprodução / Instagram
Conteúdo exclusivo para assinantes
Aline Ramos

Aline Ramos é jornalista, mas tá mais pra palpiteira, por isso cria conteúdo na internet desde 2014. Você com certeza já fez algum teste dela no BuzzFeed, onde foi redatora por dois anos. É especialista em diversidade e dá consultoria para marcas em temas como raça e gênero. Mas o que ama mesmo é escrever sobre entretenimento e dar opinião sobre tudo, se bobear até sobre a sua vida.

Colunista do UOL

26/06/2021 10h44

A escolha de Adriane Galisteu como apresentadora da próxima edição de A Fazenda foi um acerto e consolidou uma tendência na Record. Em 2021, os três principais realities shows de confinamento da emissora serão comandados por mulheres.

Além de A Fazenda 13, que deve entrar no ar em setembro, Galisteu atualmente está à frente do Power Couple 5, programa que assumiu neste ano. Novo reality show da emissora, o Ilha Record estreia em julho e será apresentado por Sabrina Sato.

Antes delas, só homens

A ótima performance de Galisteu à frente do Power Couple justifica sua escolha para A Fazenda. Antes dela, o reality de casais teve como apresentadores Roberto Justus, entre 2016 e 2017, e Gugu Liberato, entre 2018 e 2019.

Em A Fazenda, Galisteu substituirá Marcos Mion após o sucesso da edição de 2020. Antes dele, o programa também só teve apresentadores homens: Britto Júnior, entre 2009 e 2014, e Roberto Justus, entre 2015 e 2017.

Sabrina Sato foi escolhida para comandar a primeira edição de uma das principais novidades da emissora no ano, o Ilha Record. Antes, ela comandou os realities shows Made in Japan e Game dos Clones.

Avanços inevitáveis

A presença das competentes apresentadoras em programas de prestígio e formato popular como reality show de confinamento é uma ótima novidade proporcionada pela Record. Com isso, a emissora sai na frente de sua principal concorrente.

Na Globo, o Big Brother Brasil foi comandado por Pedro Bial entre 2002 e 2016. A edição de estreia do BBB também teve Marisa Orth como apresentadora, mas a experiência não foi bem-sucedida e a atriz deixou a atração antes da reta final. Tiago Leifert assumiu o programa em 2017 e ocupa o posto no momento. No ar atualmente, o No Limite só teve homens à frente nas quatro temporadas: Zeca Camargo (2000, 2001 e 2009) e André Marques (2021).

Com Adriane Galisteu e Sabrina Sato à frente dos realities, a Record se mostra conectada à atual realidade do mundo, onde mulheres podem e devem ocupar todos os espaços. Agora, a emissora tem como desafio aumentar o número de apresentadores negros em seus quadros, é um próximo passo urgente e também inevitável.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL