PUBLICIDADE
Topo

Aline Ramos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

'Golpe da Juliette': loja vende acessórios, não entrega e deixa fãs na mão

Brinco "piercing fake" de Juliette é um dos itens mais procurados do acervo da paraibana  - Reprodução/ Instagram
Brinco 'piercing fake' de Juliette é um dos itens mais procurados do acervo da paraibana Imagem: Reprodução/ Instagram
Aline Ramos

Aline Ramos é jornalista, mas tá mais pra palpiteira, por isso cria conteúdo na internet desde 2014. Você com certeza já fez algum teste dela no BuzzFeed, onde foi redatora por dois anos. É especialista em diversidade e dá consultoria para marcas em temas como raça e gênero. Mas o que ama mesmo é escrever sobre entretenimento e dar opinião sobre tudo, se bobear até sobre a sua vida.

Colunista do UOL

05/05/2021 22h41

Mais do que campeã do BBB 21, Juliette Freire é um fenômeno. Fora da casa mais vigiada do Brasil, a paraibana empilha seguidores, engajamento e recordes no Instagram, onde já tem 26 milhões de seguidores. Os números impactantes dão uma ideia de sua influência para as pessoas.

Ainda no começo do programa, o batom vermelho usado por ela ganhou destaque e passou a ser muito vendido. Logo os acessórios utilizados pela advogada e maquiadora seguiram o mesmo caminho, e os brincos e piercings da paraibana também viraram objeto de desejo de fãs.

O problema foi que, aparentemente, teve gente que se aproveitou de quem só queria ter os mesmos acessórios que a mais nova milionária do Brasil. O Reclame Aqui registra até o momento mais de 60 reclamações contra a Custom Jóias. O motivo? As pessoas compraram brincos e piercings da Juliette, pagaram pelos produtos, não receberam e a loja sumiu.

Alguns consumidores relataram que uma pessoa chamada Flávia entrou em contato em nome da loja pelo Whatsapp para confirmar a compra. Após o pagamento, ela prometia mandar em breve o código de rastreio do envio dos produtos, mas desaparecia depois disso.

Nas reclamações, boa parte das pessoas alega ter feito a compra a partir de anúncios no Instagram. Os registros contra a Custom Jóias no Reclame Aqui ocorreram a partir de 20 de abril, e não houve nenhuma resposta por parte da loja. A maioria deixa claro ter adquirido kits com brincos e piercings de Juliette.

Algumas pessoas estão contando no Twitter como foram lesadas pela loja:

Desamparados, os clientes já tentaram contato com a loja via telefone e Whatsapp, mas sem sucesso. Eles também recorreram às redes sociais, mas os perfis da loja no Facebook e no Instagram foram desativados.

O site da Custom Jóias ainda está no ar, mas não é mais possível adquirir os produtos. As páginas apresentam erros e parte do conteúdo parece estar sendo desativado.

A coluna entrou em contato com a loja a partir das informações ainda disponíveis no site, mas até o momento não obteve nenhum retorno.