PUBLICIDADE

Topo

Fabi Alvim no Botequim da Teresa: "em 2008, era ganhar ou ser geração que não consegue"

Mais Botequim da Teresa
1 | 20
Siga o UOL Nossa no

13/05/2022 11h00

No terceiro episódio da nova temporada do "Botequim da Teresa", Teresa Cristina coloca à mesa a sua quarta paixão. Além da música, do petisco de boteco e de um bom bate-papo, quem entre em cena é o vôlei com a convidada Fabi Alvim, bicampeã olímpica.

"A melhor líbero do planeta, uma gigante", introduz Teresa Cristina, após reproduzir a omelete especial do Bar do Tino, localizado no Morro dos Prazeres, no centro do Rio de Janeiro.

Teresa Cristina - Fabi Alvim e omelete - FGranatieri/UOL - FGranatieri/UOL
Teresa Cristina e Fabi Alvim: amigas se sentam para bater papo no botequim
Imagem: FGranatieri/UOL

Com 1 metro e 67 centímetros de altura, a "pequena" Fabi jogou por 20 anos e fez carreira na posição de líbero, que, por coincidência, surgiu na mesma época em que ela se profissionalizou.

"Foi a oportunidade de seguir no esporte. Sempre fui fora dos padrões pelo meu tamanho", conta a atleta de Irajá, no subúrbio carioca, que via no vôlei uma forma de brincar e interagir.

Um passe para gerações de mulheres

Teresa Cristina - Fabi Alvim e omelete - FGranatieri/UOL - FGranatieri/UOL
Fabi Alvim fez parte da seleção campeã em 2008 e 2012
Imagem: FGranatieri/UOL

A conquista da primeira medalha de ouro nas Olimpíadas de 2008, em Pequim, aconteceu na base da pressão.

"Em 2004, jogamos uma semifinal contra a Rússia. O Brasil estava ganhando e participaria pela primeira vez uma final olímpica. Mas o improvável aconteceu: a Rússia virou."

Para Fabi, cada derrota reforçava o discurso de que, na hora do vamos ver, mulheres não dão conta do recado.

"Quando chegamos em 2008, a missão é era seguinte: ganhar ou ficar marcada como a geração eu não consegue. Nosso impulso era saber que a gente poderia mudar essa história".

A vitória foi um sonho. Ali ficou marcado que a mulher também pode. Representamos todas aquelas que vieram antes".

A segunda conquista, em Londres 2012, não foi mais fácil. "Essa medalha foi emocionalmente desgastante para mim. Eu era uma das mais velhas e puxava a responsabilidade para mim. Depois de chegar ao ápice em 2008, seguimos na mesma batida da preparação intensa por mais quatro anos. Não tem atalhos fáceis".

Teresa Cristina - Fabi Alvim e omelete - FGranatieri/UOL - FGranatieri/UOL
Fabi conta bastidores da conquista das medalhas
Imagem: FGranatieri/UOL

O esforço foi compensado quando o time subiu no lugar mais alto do pódio. "Se tem uma coisa que tenho saudade, é de ouvir o hino".

Depois de se aposentar, Fabi ocupou a posição de comentarista de TV. "Para mim, está sendo um aprendizado. Minha contribuição é fazer com que as pessoas entendam e falem mais de vôlei."

Sextas de samba

Botequim da TEresa - Zo Guimaraes/UOL - Zo Guimaraes/UOL
Imagem: Zo Guimaraes/UOL

O "Botequim da Teresa", que vai ao ar todas as sextas, é o programa perfeito para quem ama boa música e papos interessantes. Teresa Cristina resgata a história de bares tradicionais do Rio de Janeiro, faz receitas clássicas de cada um deles e recebe convidados para conversas descontraídas. Assista à nova temporada no site de Nossa, no UOL Play ou no YouTube de Nossa (inscreva-se e receba atualizações fresquinhas).