PUBLICIDADE

Topo

Vai Ter Churras

Churrasco simples e divertido apresentado por Bruno Salomão


Cupim na churrasqueira: saiba como temperar e deixar a carne macia

De Nossa

19/08/2021 11h00

Eis duas verdades sobre o preparo do cupim: demora e dá trabalho. "Mas quando fica pronto, você fatia, vê a carne se desmanchando e pensa que o esforço valeu".

E aí, foi convencido por Bruno Salomão? Pois neste episódio de Vai Ter Churras o especialista ensina a temperar e a assar a carne que precisa de seis a oito horas para finalmente conquistar a maciez.

Vai Ter Churras - Cupim - Mariana Pekin/UOL - Mariana Pekin/UOL
Imagem: Mariana Pekin/UOL

O primeiro passo é preparar a mistura de temperos que dará o "tchãn" para a receita. A pastinha, feita no liquidificador, é formada por cebola, alho, louro, óleo, sal, pimenta-do-reino, cerveja e laranja-baía.

O segredo está em colocar não só o suco, como também o "zest" da laranja. Trata-se de uma raspinha da casca que deve ser tirada sem pegar na parte branca, que amarga. "Os óleos essenciais da casca dão um sabor cítrico".

Bruno sugere furar toda a superfície do cupim com um garfo para facilitar a entrada desses sabores. Na sequência, enfia um espeto no centro do corte e embrulha a carne mais o tempero com papel celofane.

Vai Ter Churras - Cupim - Mariana Pekin/UOL - Mariana Pekin/UOL
Imagem: Mariana Pekin/UOL

Para que nada escorra na brasa é necessário dar um nó bem firme, ou "nozado", como diz o churrasqueiro.

A carne deve passar de seis a oito horas na grelha alta, longe das labaredas da brasa. De hora em hora, o espeto precisa ser virado de lado.

Quando estiver no ponto, escorra o caldo de tempero numa tigela e sele a superfície da carne bem pertinho do fogo.

O que o povo quer saber?

Vai Ter Churras - Cupim - Mariana Pekin/UOL - Mariana Pekin/UOL
Imagem: Mariana Pekin/UOL

Se você já ouviu que o cupim está localizado na parte onde o boi toma vacina e por isso se trata de uma carne ruim, pode esquecer essa ideia. "Não é ali que se aplica e, mesmo se fosse, a vacina é espalhada pelo corpo", diz Bruno.

Situado atrás do pescoço dos bois zebuínos, o cupim é, na verdade, um depósito de gordura.

É um mecanismo de segurança. Ele guarda para usar quando precisa".

Mas não precisa ficar com medo. Desde que a carne não seja consumida com muita frequência, dá para aproveitar a gordurinha extra como uma fonte "maravilinda" de sabor.

Acompanhamentos

Vai Ter Churras - Cupim - Mariana Pekin/UOL - Mariana Pekin/UOL
Imagem: Mariana Pekin/UOL

Bruno apresenta também duas receitinhas para serem colocadas à mesa junto do cupim. A farofa de ovo ganha o predicado "a melhor que você vai comer na sua vida".

É assim: a gordura do azeite de dendê e do bacon picadinho se mistura aos ovos mexidos, que recebem a companhia da farinha de mandioca flocada antes mesmo de coagularem. O resultado é uma farofa bem temperadinha e de cor atraente.

O outro acompanhamento é o molho de churrasco típico do Oeste Paulista. Geralmente preparado com vegetais crus, ele surge aqui numa versão com gostinho de defumado. A cebola-roxa e o tomate italiano estagiam na brasa antes de irem para o liquidificador.

Para conferir o passo a passo completo, assista ao vídeo ou clique na imagem abaixo:

Molho para churrasco do Oeste Paulista

Dificuldade Fácil
15 min
Ver receita completa

Fique ligado!

Confira todas as quintas um novo episódio no site de Nossa, no UOL Play ou no YouTube de Nossa (inscreva-se já para receber as atualizações fresquinhas). E acompanhe mais conteúdos no Instagram de Nossa. Veja também a primeira temporada, na qual Bruno Salomão ensina os conceitos básicos para os churrasqueiros de primeira viagem.


Um universo de conteúdo para assistir do seu jeito.

O Conto de Aia
Flack
Acende a Luz
De Férias com o Ex - Brasil
Schitts Creek
The Office
Patrulha Canina
Inimigos da HP