PUBLICIDADE

Topo

Teresa Cristina e Gregório Duvivier provam petisco de berinjela no "Botequim Da Teresa"

10/04/2021 21h45

"Você realizou um sonho antigo, eu amo berinjela. Meu fraco é comida de boteco, especialmente fritura. Viveria à base de bolinhos", revela o humorista e escritor Gregorio Duvivier, depois de experimentar o gurjão de berinjela do Bar Madrid. O petisco, que virou piada pronta no set ("A berinjela do Gregório"), foi preparado por Teresa Cristina no terceiro episódio do "Botequim da Teresa".

Duvivier participou de forma remota, da sua casa na Zona Sul do Rio, onde recebeu o tira-gosto e conversou com a anfitriã sobre boteco, (o não) carnaval, pandemia, humor, Bolsonaro e Pixinguinha.

"O ano só começa com o carnaval, então este ano nem começou", diz. "Mais medo do que não ter carnaval, é ter carnaval. Leandro Vieira (carnavalesco da Mangueira) definiu bem: 'o carnaval é a festa da transgressão, mas em 2021, a transgressão é não pular o carnaval'."

'Ô abre alas'

Gregorio Duvivier é convidado especial do "Botequim da Teresa" - Divulgação - Divulgação
Gregório Duvivier é convidado especial do "Botequim da Teresa"
Imagem: Divulgação

A partir de 2012, Gregorio Duvivier se destacou como um dos criadores das esquetes do canal "Porta dos Fundos", no YouTube. Ao longo do bate-papo com Teresa Cristina, ele recorreu à mitologia grega — "Tem uma coisa meio inconsciente no carnaval, você ouve um surdo e vai atrás, como Ulisses encantado pelo canto das sereias" — e lembrou de passagens que entraram para a história da folia carioca.

"Rio, samba e choro são patrimônio da humanidade, quando o bloco faz uma pausa para tocar 'Carinhoso', para mim, é um hino de louvor, bate num lugar do Olimpo, onde estão Pixinguinha, Cartola, Noel... Todos os blocos começam com 'Ô abre alas', uma música composta por uma mulher (Chiquinha Gonzaga) no século 19.

Isto conecta tantas coisas, pessoas, além de mostrar que o Brasil é mais duradouro do que o país destes canalhas que estão aí no poder"

Ao que Teresa Cristina, que costuma trocar memes com o humorista por Whatsapp, emenda:

"Pixinguinha estava num cortejo de rua, passou mal, entrou na Igreja Nossa Senhora da Paz (em Ipanema) e morreu quase que no altar. Para mim, um santo brasileiro. Você pode rezar para ele, Gregório", brinca.

Um dos maiores compositores da música popular brasileira, Pixinguinha era tão espirituoso, lembra Teresa, que durante um assalto, achou que os ladrões estavam com fome, levou "os moleques" para casa e pediu para sua mulher fazer uma sopa.

Amigos de longa data

Teresa Cristina relembra casos que marcaram a história do samba no Rio - Ricardo Borges/UOL - Ricardo Borges/UOL
Teresa Cristina relembra casos que marcaram a história do samba no Rio
Imagem: Ricardo Borges/UOL

A relação de amizade entre Teresa e Gregório vem de longe.

"Um amigo que eu agradeço muito, uma amizade que me faz muito bem, ele tem qualidades que admiro tanto, gosto de estar perto de pessoas inteligentes, debochadas, sarcásticas, de mente rápida. Ao lado dele estou sempre gargalhando e aprendendo um pouquinho."

Depois de entoar "O mundo é um moinho", de Cartola, a cantora comenta um bastidor envolvendo seu terceiro convidado.

"Fiz um trabalho cantando Cartola, e a primeira música era 'O mundo é um moinho', mas o Gregorio me chamou a atenção para um detalhe que fazia toda a diferença. Eu cantava de um jeito que mudava o sentido da letra, 'Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos', mas na verdade não era 'teus sonhos tão mesquinhos', e sim 'teus sonhos, tão mesquinho', para dizer do mundo. Uma letra 's' que fazia toda a diferença."

Samba, série e Teresa

O "Botequim da Teresa" vai ao ar todas as sextas-feiras, às 10 horas, no YouTube de Nossa (inscreva-se já para receber os lembretes), no site, no UOL Play e no Facebook de Nossa.

O programa é uma coprodução de Nossa, MOV, a plataforma de vídeo do UOL, e da 2291 Conteúdo. Ele foi gravado em janeiro seguindo todos os cuidados necessários recomendados pelas autoridades de saúde durante a gravação do programa, como testagem dos convidados e da equipe, uso de máscara, álcool em gel e distanciamento social. Metade dos convidados foi recebida de forma presencial e a outra metade no formato remoto.