PUBLICIDADE
Topo

Aplicativo recém-lançado acaba com a saia justa na hora da gorjeta no hotel

Aplicativo promete solucionar os problemas com gorjetas em hotéis - Getty Images/iStockphoto
Aplicativo promete solucionar os problemas com gorjetas em hotéis Imagem: Getty Images/iStockphoto

Eric Rosen

05/02/2020 18h56

É a gafe universal no mundo das viagens: você chega a um hotel, recebe sua bagagem da pessoa que carrega as malas, enfia a mão no bolso, vasculha a carteira e... nada. Ou, talvez pior, tem apenas uma nota de alto valor que você tem vergonha de pedir para que seja trocada.

Bashar Wali, presidente da Provenance Hotels, lamentou a situação das gorjetas em hotéis em um post no LinkedIn em julho passado, no qual discutiu a ideia de dar gorjeta como compensação justa, mais como uma demonstração de gratidão, um "reconhecimento pessoal" para os que "estão expostos às nossas piores partes [pilhas de roupa suja, ressacas, sobras de comida nos quartos] recebam o mínimo reconhecimento."

Uma sociedade que usa cada vez menos dinheiro vivo, recursos de check-out digital, a louca corrida para o aeroporto - tudo isso torna as gorjetas mais difíceis, mas não são desculpas suficientes.

Então, vieram os comentários: "Se ao menos houvesse um aplicativo para isso...", várias pessoas disseram.

Agora existe. A TipYo estreou na App Store em novembro prometendo otimizar a experiência da gorjeta para quem viaja em todo o mundo. Mas, por enquanto, o aplicativo só está disponível no Hotel Murano, de Wali, em Tacoma, estado de Washington, onde o lançamento foi discreto. (Uma versão para Android chega no primeiro trimestre deste ano.) Até o final desta semana, o aplicativo também estará disponível no Hotel DeLuxe, em Portland, Oregon.

A premissa é simples: depois de receber o número do quarto de hotel, é possível inseri-lo no aplicativo e enviar gorjetas a um funcionário em particular ou a um departamento geral (serviço de limpeza, concierge, manobrista). Os valores podem ser selecionados a partir de quantias pré-definidas ou personalizados, e o dinheiro é debitado pelo Apple Pay (caso esteja configurado) ou cartão de crédito ou débito inserido como forma de pagamento. Para garantir que as gorjetas sejam direcionadas à pessoa correta, mesmo quando o hóspede não se lembra do nome do empregado, os gerentes do hotel fazem o upload dos turnos dos funcionários e podem definir regras sobre quando as gorjetas devem ser agrupadas.

O fundador do TipYo, Brian Walsh, não é um profissional da área de hospitalidade, mas ficou frustrado com a experiência de dar gorjeta. "Eu raramente tinha dinheiro - menos ainda do que o habitual nos últimos cinco anos, já que agora vivemos em uma época em que podemos pedir um Uber, verificar nossas contas bancárias, pedir comida e pagar pessoas diretamente de nossos telefones", disse Walsh à Bloomberg. Ele se perguntou por que a gorjeta não funcionava da mesma forma.

Sua empresa anterior ajudou igrejas a processarem doações eletrônicas, então Walsh tinha experiência em eliminar obstáculos regulatórios que um aplicativo de gorjeta exigiria. "Entendemos o espaço, seus regulamentos federais, o que é esperado do IRS", diz sobre a Receita Federal dos EUA, facilitando um fluxo de dinheiro complicado. O ponto positivo, diz, "é que você pode deixar uma gorjeta com confiança e saber que o dinheiro está indo para os salários dos funcionários certos".

Até agora, a adoção é lenta, mas encorajadora, diz Walsh. O aplicativo foi implantado discretamente nos 300 quartos do Hotel Murano no final de novembro passado; nos dois meses seguintes, 100 hóspedes acessaram o aplicativo. Isto com taxas de ocupação em baixa temporada e promoção quase zero, diz Walsh, acrescentando que os números iniciais superaram as expectativas.